Jean Todt não deixa cargo de chefe-executivo da Ferrari

Ex-chefe de equipe até 2007, o francês assumiu o cargo em outubro de 2006; Amadeo Felisa será o substituto

Mathias Wildt e Gilles Castonguay, Reuters

18 de março de 2008 | 15h24

O presidente-executivo da Ferrari, Jean Todt, pediu demissão do cargo nesta terça-feira e será substituído pelo gerente-geral Amedeo Felisa, informou a escuderia em comunicado. Todt era o chefe de equipe da Ferrari quando a escuderia italiana conquistou seis títulos de construtores consecutivos entre 1999 e 2004, com Michael Schumacher como piloto. Em 2006, Todt se tornou presidente-executivo da montadora de carros de luxo. O francês disse que desejava permanecer na Ferrari enquanto o presidente Luca di Montezemolo fosse presidente do sindicato dos empregadores da Itália. Agora que Montezemolo está de volta à Ferrari, Todt disse que pode "dedicar mais tempo a mim mesmo e às coisas que estou interessado". Todt permanecerá como membro do conselho da empresa, assim como chairman da Ferrari Asia Pacific e da Ferrari West Europe. Ele também será encarregado por Montezemolo de realizar operações especiais de corrida da equipe, disse a companhia. Felisa, de 62 anos, chegou a Ferrari em 1990 e foi promovido a gerente-geral dois anos atrás.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Jean TodtFerrari

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.