Johnny Herbert ronda vagas na F-Indy

A corrida de Portland é apenas a sétima das 20 que o campeonato de Fórmula Indy vai ter. Mas já está na hora de começar a pensar na próxima temporada. Muitos contratos vencem no final do ano e alguns pilotos estão de olho nessas vagas. É o caso do inglês Johnny Herbert, ex-Fórmula 1, que esteve em Portland procurando emprego em várias equipes.Aos 37 anos, Herbert diz que quer muito correr na Indy. Quer tanto que esteve também na segunda prova da temporada, em Long Beach, e planeja ir a Chicago no final de julho. Em Portland, fez contato com várias equipes, como Mo Nunn, Chip Ganassi, Newman Haas e Sigma - na Mo Nunn, talvez sobre a vaga de Alex Zanardi, assim como a de Memo Gidley na Chip Ganassi (sua situação é provisória, já que substituiu Nicolas Minassian às pressas) e a de Christian Fittipaldi na Newman Haas. Numa das passagens pelo motorhome da Sigma, Herbert contou que deve fazer testes com a equipe após a prova de Chicago.Mas disse que, até agora, nada está acertado: "Estamos só conversando." Tom Wieringa, dono da equipe, confirma que a Sigma, que atualmente conta apenas com o espanhol Oriol Servia, pretende ter dois carros no próximo ano. Mas garante que, apesar do teste, Herbert é apenas um nome na lista.Servia, dono da vaga que a princípio seria do brasileiro Max Wilson, deve ficar: "Quero mantê-lo, eu amo esse cara." Ama o piloto e o dinheiro que ele trouxe para a equipe: "É, isso ajuda." Para o nível de exigência da Fórmula 1 atualmente, especialmente em termos de reflexos, Herbert é considerado velho para a categoria. Mas ele afirma que resolveu tentar a vida nos Estados Unidos não apenas para se divertir e ganhar um pouco mais de dinheiro antes de se aposentar. E sim porque não gostou de seus dois últimos anos na F-1, especialmente o último, na Jaguar: "A Jaguar era uma bagunça. Aliás, ainda é." Em 1999, ele corria pela Stewart.Como está parado neste ano, o piloto inglês está tendo tempo de sobra para buscar pessoalmente uma vaga na Indy - não há nenhum conterrâneo seu na categoria. E realizar um sonho que ele diz ter há 10 anos, desde a época em que começou na F-1: "Sempre quis vir para cá e também correr as 500 Milhas." A tradicional prova de Indianápolis não faz parte do calendário da Indy desde 95, mas cada vez mais equipes têm participado. Também alguns atuais pilotos da F-1 estão de olho na Indy.Representantes de Jean Alesi, companheiro de Luciano Burti na Prost, andaram sondando uma vaga para o piloto francês. E o próprio Burti esteve em Milwaukee. Disse que estava lá apenas de passagem, já que na semana seguinte havia corrida da F-1 em Montreal. Como ainda está no primeiro ano, parece improvável que ele esteja querendo mudar. Mas nunca se sabe. Não custa prevenir.

Agencia Estado,

24 de junho de 2001 | 17h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.