Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Júlia, cadela de Interlagos sem abrigo

Júlia não teve tanta sorte quanto Floh, ou Pulga, ao menos até agora, mas também não há do que se queixar. Se ela resolvesse se apresentar em Interlagos alguns dias mais tarde, quinta-feira, sábado, por exemplo, quem sabe tivesse sorte semelhante a de Floh. Júlia é uma cadelinha de um mês, aproximadamente, que sem que ninguém imagine de onde veio, surgiu nesta segunda-feira no autódromo de Interlagos.Floh era uma adolescente quando fez o mesmo, mas na quinta-feira da corrida de 1999 e acabou voando para a Europa domingo à noite, no avião particular de Michael Schumacher, que junto da esposa, Corinna, a mantém em casa na Suíça até hoje, com enorme carinho, diga-se.Julio Bachir, da organização do GP Brasil, irrompeu a sala de imprensa, em montagem, com uma caixa de papelão e a graciosa cachorrinha encontrada em Interlagos. Ganhou a atenção de todos. Do portador, a origem do nome. Se ainda não teve o destino de Floh, já ganhou assistência médica e hospedagem numa clínica veterinária por dez dias, concedida pelo assessor de imprensa do evento, Marcio Fonseca. "Eu já tenho dez cães em casa e quatro no escritório, não dá para pegar mais um", disse.O piloto finlandês Mika Salo comentou no ano em que Schumacher levou consigo a vira-lata que entrou no box da Ferrari sem credencial alguma, principalmente de pedigree, que o número de animais abandonados em São Paulo o impressionara. Salo e a esposa mantêm elevado número de cães em casa. O que Julia talvez ainda não saiba é que se não tivesse sido recolhida, acabaria, com muita probabilidade, no Centro de Controle de Zoonoses da prefeitura, mais conhecida como carrocinha. A chance de um Schumacher a encontrar lá e levá-la para casa seria quase zero.Agora virou notícia e já existe movimentação no sentido de adotá-la. "É lindinha, mas você sabe, é cachorrinha de autódromo", respondeu Carlos Montagner, o diretor de prova, a um candidato que desejava informações sobre o animal, por telefone, pensando em recolhê-la. Junto da chegada dos pilotos brasileiros ao autódromo e a finalização das obras em Interlagos, Júlia virou tema de conversa. É um bom começo.

Agencia Estado,

19 de outubro de 2004 | 09h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.