Juliana, chefe de equipe, sonha com a Fórmula 1

A testosterona costuma dominar oautomobilismo, e as mulheres só pisam nos circuitos paramassagear o ego dos homens. Ou pelo menos era assim até surgirJuliana Koh. Koh, 29, mãe, é a chefe da equipe TARADTM, de Cingapura,que participa da Fórmula V6 e da Fórmula BMW, na Ásia. Elacomanda dois pilotos, sendo que um deles é seu irmão mais novo,e três carros, viajando pela Ásia para participar das provas.Ela também dirige uma Ferrari 355. "As pessoas tendem a ter mais curiosidade sobre a gente",disse ela à Reuters quando questionada sobre como é ser mulhernum esporte dominado por homens. "Não é um esporte de que asmulheres querem participar." A atração pela velocidade parece ser de família. Os pais deJuliana gostavam de participar de ralis e seu irmão Hafiz é opiloto mais novo de Cingapura a participar de uma provaFórmula. "Minha mãe dirigia em ralis com Juliana na barriga",afirmou Hafiz. "E a filha de Juliana, Tara, está dando sinaisde ter potencial aos 3 anos, ela gosta de colocar meucapacete", disse ele. A equipe dos irmãos não compete na Fórmula 1, mas querfazer com que os cingapurianos tenham mais interesse noautomobilismo. Cingapura deve sediar seu primeiro GP de Fórmula1 no ano que vem, que também será a primeira corrida emcircuito de rua na Ásia. No mês passado, a FIA (Federação Internacional deAutomobilismo) aprovou o circuito de Cingapura, que tem 5,067km. A equipe TARADTM foi montada pelos Koh no ano passado, e amaior parte do financiamento veio de seu próprio bolso. Desdeentão, recebeu patrocínios de vários países, como Índia,Malásia e França, além de Cingapura. Mas eles sonham com aFórmula 1. "Ainda estamos nos primeiros estágios, mas é na Fórmula 1que queremos chegar", disse Juliana. "E não vejo por que nãoter também uma piloto mulher."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.