Junqueira vence e Castro Neves lidera

Bruno Junqueira deu neste domingo ao seu chefe, o turrão Chip Ganassi, aquilo que sempre exige: vitória. O brasileiro venceu o GP de Elkhart Lake, 13ª etapa válida da temporada de Fórmula Indy, e conseguiu a rara proeza de fazer o dirigente sorrir. Estreante na categoria, obteve sua primeira vitória numa corrida cheia de acidentes - e incidentes - e desabafou: "Eu estava merecendo??, gritou, antes de subir ao pódio, que também teve o norte-americano Michael Andretti, da Green/Motorola, segundo colocado, e o mexicano Adrian Fernandez, da Fernandes Racing, que chegou em terceiro.Vários brasileiros marcaram pontos em Elkhart Lake. Gil de Ferran, da Penske, chegou em quinto; Cristiano da Matta, da Newman-Haas, foi sexto, uma posição à frente de Hélio Castro Neves, da Penske. Roberto Moreno, da Patrick, foi o 11º e Tony Kanaan, da MoNunn, o 12.º.Castro Neves é o novo líder do campeonato, com 110 pontos -também ganhou o ponto extra por liderar mais voltas da prova, uma vez que o sueco Kenny Brack, do Team Rahal, que largou na pole, fez uma corrida medíocre, terminou apenas em 14.º lugar e não acrescentou pontos aos 105 que tem. Gil subiu para 99 e Michael Andretti tem 89.O destaque, evidentemente, acabou sendo Bruno. Por sua primeira vitória e pela maneira como ela foi obtida. O brasileiro teve vários problemas durante a corrida, mas, com a ajuda da equipe, foi favorecido pela estratégia correta de paradas para troca de pneus e reabastecimento. "Foi complicado. Na primeira volta, o Christian (Fittipaldi) bateu em mim e eu caí para último, após ter largado em décimo. Depois, sai da pista numa disputa de posição com o Zanardi e fui para último de novo. Mas quando tive pista livre, ganhei várias posições e, no final, com a estratégia certa, deu para vencer??, disse Bruno.A estratégia começou a dar resultado na volta 35, quando os então três primeiros colocados, Hélio, Gil e Cristiano - além de outros pilotos - foram para os pits. Bruno ficou na pista, assumiu a liderança e só parou, para um splash and go, na volta 42. Conseguiu voltar em primeiro e, na volta 44, a surpresa: "Quando eu vi a bandeira branca (com a qual o diretor de prova sinaliza a última volta), percebi que iria vencer. Não esperava, porque não sabia que a corrida terminaria no limite de tempo??, admitiu.O GP de Elkhart Lake foi encerrado no limite de 2 horas (Bruno completou em 2h00min28s453) e com 45 voltas em vez das 55 programadas por causa das muitas confusões. A prova começou sem chuva, 20 minutos após o horário previsto para a largada, mas com a pista encharcada, por conta de um temporal que caíra uma hora antes. Com isso, as primeiras cinco voltas foram sob bandeira amarela, enquanto a pista secava. Com bandeira verde, Max Wilson e Bryan Hertha bateram. Nova bandeira amarela.O acidente foi espetacular. Wilson entrou com seu carro em cima do de Hertha, que diminuíra a velocidade ao passar por um "curso d?água?? que existia na curva 11. Como a pista de 6.513 fica numa região acidentada, a água que escoava de um muro na altura da curva, invadia a pista e seguia seu curso do outro lado.O resto da pista estava seca e Maurício Gugelmin resolveu trocar os pneus de chuva, que todos usavam pelo slick. Resultado: não passou da curva 11. Rodou e bateu. Então, a prova foi interrompida, para que os fiscais tentassem escoar a água do local. "A Cart tomou a decisão tarde demais. Ela preciso ter feito valetas para escoar a água. Do jeito que estava, não dava para passar nem de barco??, reclamou Gugelmin.A interrupção durou 47min52s. Quando a prova recomeçou, Helinho estava na liderança pois não havia trocado pneus antes da bandeira vermelha. Como a direção da prova permitiu que ele o fizesse durante a paralisação, o brasileiro foi beneficiado.Brack, que liderou as primeiras 11 voltas, foi perdendo posições. Gil, que largou em quarto, foi subindo e assumiu a segunda posição na 33ª, após bela ultrapassagem sobre Patrick Carpentier. Cristiano da Matta aproveitou para ultrapassar o canadense e pulou para terceiro.Duas voltas depois, os três foram para o pit. Estava aberto o caminho para a vitória de Bruno Junqueira.A corrida teve uma grave acidente, na volta 20. O norte-americano Memo Gidley, da Ganassi, perdeu o controle do carro, saiu da pista, bateu no muro e capotou. Ele foi retirado do carro e encaminhado ao centro médico. Segundo o médico da Cart, Steve Olvey, o piloto não teve fraturas e conversava normalmente. Mas como reclamou de fortes dores na região da coluna, foi levado a um hospital da região para passar por exames. A próxima etapa do campeonato será em Vancouver, Canadá, em 2 de setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.