Justiça anula punição, e Briatore pode voltar à F-1

O italiano Flávio Briatore não tem mais impedimento legal para voltar a trabalhar na Fórmula 1. O ex-chefe de equipe da Renault, que havia sido banido pela Federação Internacional de Automobilismo de todas as competições organizadas pela entidade, conquistou nesta terça-feira uma vitória nos tribunais.

AE, Agencia Estado

05 de janeiro de 2010 | 12h43

A justiça francesa considerou irregular a decisão de excluir o dirigente, e por isso anulou a sentença proferida pelo Conselho Mundial da FIA, em setembro de 2009. Agora, ao menos judicialmente, Briatore está livre para retomar suas atividades - a FIA ainda não se manifestou sobre o caso, mas deve criar algum mecanismo para afastar o polêmico dirigente.

Briatore foi punido depois que ficou provada uma farsa no GP de Cingapura de 2008. Naquela ocasião, o chefe da equipe arquitetou junto de Nelsinho Piquet e do diretor Pat Symonds, uma manobra para favorecer Fernando Alonso na prova. Piquet deveria bater propositadamente ao longo a prova. O brasileiro assim o fez, e Alonso acabou vencendo aquela corrida.

Mesmo com o aval da justiça para retornar à Fórmula 1, Briatore não deve ter vida fácil para reconquistar espaço na categoria. Na Renault, as portas estão fechadas: a montadora vendeu 75% das ações para um grupo de Luxemburgo, e já anunciou que Eric Boullier será o novo chefe.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FIAFlavio BriatoreRenault

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.