Justiça italiana faz revista em fábrica da McLaren

Corte de Modena é a responsável para apurar o caso acontecido no ano passado, envolvendo a Ferrari

Agência Estado

27 de fevereiro de 2008 | 16h50

Investigadores italianos visitaram nesta quarta-feira os escritórios da McLaren, bem como as casas de executivos da equipe, como parte do processo sobre espionagem industrial na Fórmula 1.A escuderia inglesa responde por ter, segundo acusação da Ferrari, se apropriado de material sigiloso da equipe de Maranello. Além das revistas, a Justiça italiana também fez perguntas a funcionários do centro de tecnologia da equipe.Os investigadores - liderados pelo juiz da Corte de Modena, fórum responsável pela ação -, foram acompanhados pela polícia local. A equipe afirmou, em nota oficial, que foi elogiada pela postura cooperativa diante da Justiça.No dia 18 deste mês, o pivô do escândalo de espionagem - o inglês Nigel Stepney, ex-funcionário da Ferrari - prestou depoimento ao promotor de Modena, Giuseppe Tibis. Ele é o acusado de ter fornecido um dossiê de 780 páginas com dados confidenciais ao engenheiro Mike Coughlan, ex-McLaren, demitido após as denúncias.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1McLaren

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.