Aijaz Rahi/AP
Aijaz Rahi/AP

Kimi Raikkonen atribuiu suas dificuldades aos pneus

Desde que a Pirelli os mudou o finlandês passou a ficar atrás do companheiro, Grosjean

Livio Oricchio, Enviado Especial - O Estado de São Paulo

25 de outubro de 2013 | 14h28

NICE - Nos treinos livres do GP da Índia, nesta sexta-feira, no circuito Buddh, Kimi Raikkonen, da Lotus, mais uma vez registrou um tempo distante do obtido pelo companheiro de equipe, o francês Romain Grosjean. O finlandês fez 1min26s632, oitavo, e Grosjean, 1min26s220, terceiro. Os mais velozes, como não poderia deixar de ser, diante da impressionante vantagem imposta desde o GP da Bélgica, foram os pilotos da Red Bull. Sebastian Vettel em primeiro e Mark Webber em segundo.

Grosjean tem sido mais eficiente que Raikkonen nas últimas definições do grid. Por exemplo: na etapa do Japão, há duas semanas, Grosjean começou a corrida na quarta colocação do grid, enquanto Raikkonen, na nona. Na prova anterior, na Coreia, o francês estabeleceu o terceiro tempo na classificação ao passo que o companheiro, somente o 13.º.  Em condição de corrida, as coisas mudam. Em Cingapura, apesar de largar em 13.º, Raikkonen recebeu a bandeirada em terceiro. Grosjean se retirou. Na Coreia, mesmo iniciando a competição em nono, Raikkonen conquistou excelente segundo lugar. Grosjean era terceiro no grid e terminou em terceiro. E no Japão o finlandês avançou de nono no grid para quinto e Grosjean, de quarto para terceiro.

O cenário no início do ano era oposto. Nas sete primeiras etapas, Raikkonen sempre largou na frente de Grosjean. Na Austrália, 7.º e 8.º, na Malásia, 10.º e 11.º, na China, 2.º e 6.º, em Bahrein, 8.º e 11.º, na Espanha, 4.º e 6.º, em Mônaco, 5.º e 13.º, e no Canadá, 10.º e 22.º.

RESPEITAR ESPECIFICAÇÕES DOS PNEUS

O que aconteceu para, de repente, Raikkonen, que vencia por 7 a 0 a disputa com Grosjean pela melhor colocação no grid, passar a perder todas e em algumas por larga margem? No GP da Coreia, Raikkonen já havia adiantado. "Os novos pneus fazem com que em uma volta lançada eu tire menos do carro que Romain." Ontem, na Índia, o finlandês lembrou de novo o fato na entrevista com os jornalistas: "Eles (Pirelli) elevaram os limites para a cambagem (ajuste da suspensão) e a pressão dos pneus. Assim não há muito o que você possa fazer. Se tivéssemos a liberdade de antes seria muito mais fácil".

Foi principalmente por as equipes não respeitarem as especificações recomendadas pela Pirelli que aconteceu o problema dos cinco pneus dechaparem na prova de Silverstone. E a partir do GP seguinte, o da Alemanha, a Pirelli passou a distribuir novos pneus, com características semelhantes aos do ano passado. A partir desse momento na temporada Raikkonen em vez de ser mais veloz que Grosjean passou a regularmente largar atrás do francês. "Em uma volta lançada (como nas sessões de classificação) isso é um problema. Na corrida não porque você não vai tanto ao limite do carro", explicou Raikkonen. O finlandês disse, ainda, que passou a explorar outras áreas do carro para compensar a perda por ser obrigado, agora, a respeitar as especificações dos pneus, tanto que há um comissário da FIA que controla tudo.

"Mas o problema é que você começa a estragar seu desempenho em seções da pista em que estava bem antes. Em alguns circuitos poderia, sim, ter sido mais rápido, mas temos de conviver com isso", comentou Raikkonen. Na Coreia, afirmou ao Estado. "Largar atrás no grid não ajuda. Quando você chega à condição de poder atacar os líderes já é um pouco tarde."

A sessão de classificação do GP da Índia será disputada amanhã, a partir das 6h30, horário de Brasília. O momento no campeonato, vem de cinco vitórias seguidas, e o retrospecto na corrida de Buddh, duas vitórias largando na pole positon, colocam Vettel como franco favorito para estabelecer o melhor tempo na definição do grid, amanhã, vencer, domingo, e celebrar o merecido tetracampeonato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.