Kubica diz que emagrecer fez a diferença

Robert Kubica está com fome de sucesso efechou a boca antes da atual temporada da Fórmula 1 para colhersua recompensa no Barein, neste sábado, quando ele e sua BMWSauber conquistaram a pole position para a corrida. O primeiro polonês a largar na frente em uma corrida da F1afirmou que perdeu seis quilos entre o fim da temporada passadae a primeira prova deste ano, na Austrália, em março. Com uma altura de 1,85 metro, Kubica decidiu emagrecer paracompetir no mesmo nível com o seu companheiro de equipe, oalemão Nick Heidfeld, que mede 1,65 metro e pesa apenas 59quilos. Enquanto Kubica terminou a temporada passada com 39 pontos,Heidfeld conseguiu 61. "Já vimos isso... se eu fosse mais leve eu poderia ser umpouco mais veloz, então decidi com meu engenheiro fazer omáximo de esforço para perder peso, no carro e em mim mesmo",disse Kubica no sábado. "Trabalhei duro e esse é o tipo de resultado que vocêconsegue. A perda de peso melhora bem a performance e eu pensoque foi de certa forma a chave de estar tão bem neste início detemporada", acrescentou o polonês. Kubica, cujo estilo agressivo de pilotagem é semelhante aodo bicampeão mundial Fernando Alonso, ainda não marcou tantospontos quanto Heidfeld nas duas provas desta temporada, mas suaconfiança aumentou. Ele largou na primeira fila em Melbourne, terminou emsegundo lugar na Malásia e, no circuito de Sakhir, conquistousua primeira pole position, após apenas 25 largadas. O chefe da equipe, Mario Theissen, afirmou que notou umagrande mudança no piloto. "Durante o inverno ele se tornou muito mais positivo,aberto e motivado", disse ele. "Acho que ele está mais seguro agora de que pode vencer umacorrida desde que o carro corresponda. Isso dá a ele muitaconfiança em suas próprias habilidades e em sua equipe. Achoque Robert e o time estão muito bem. "Estava claro para Robert que ele poderia melhorar suaperformance perdendo peso, porque o que ele perde pode ajudá-loa ser mais veloz na pista." Theissen afirmou que as performances de Kubica são tambémuma boa resposta àqueles que pensaram que a equipe seequivocara em contratar o piloto e promovê-lo no meio datemporada de 2006 em substituição ao canadense JacquesVilleneuve. "Fica claro agora que foi uma decisão acertada e que Robertpode se tornar uma das estrelas da Fórmula 1."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.