Arquivo/AE
Arquivo/AE

Kubica revela-se surpreso com imunidade de Nelsinho

Piloto da BMW acredita que brasileiro estava 'muito desesperado' para aceitar bater propositalmente

AE, Agencia Estado

24 de setembro de 2009 | 09h41

CINGAPURA - O polonês Robert Kubica, da BMW, revelou-se surpreso com a imunidade de Nelsinho Piquet no escândalo da Renault. O brasileiro admitiu ter batido de propósito para beneficiar Fernando Alonso no GP de Cingapura de 2008, mas não foi punido pela FIA. Para Kubica, a entidade agiu de forma estranha no caso.

Veja também:

F-1 2009 - tabela Classificação | especialCalendário

especialESPECIAL - jogue o Desafio dos Pilotos

blog BLOG DO LIVIO - Leia mais sobre a F-1

"Normalmente, se você for à polícia e disser que matou uma pessoa, mas que conhece alguém que matou três, você ainda será preso. Talvez não tenha tantos problemas quanto a outra pessoa, mas ainda assim terá problemas", disse o polonês.

Nelsinho escapou de punição devido à delação premiada - uma espécie de recompensa por ter denunciado o caso e ajudado nas investigações. A maior pena que o brasileiro deve enfrentar será a mancha em sua reputação. É improvável que, com um caso desta magnitude no currículo, ele consiga um lugar na Fórmula 1 em 2010.

Para Kubica, Nelsinho devia estar "muito desesperado" para aceitar bater propositadamente. "Eu sairia do carro no grid de largada. Estou surpreso com a que ele fez. É um piloto experiente, com várias corridas no currículo e estou surpreso que tenha aceito isso."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.