Albert Gea/Reuters
Albert Gea/Reuters

Piloto da F-1 admite estar despreparado para reestreia: 'Sei 20% do que deveria'

Robert Kubica, da Williams, está pessimista para o GP da Austrália, no próximo dia 17

Redação, Estadão Conteúdo

04 de março de 2019 | 21h46

O polonês Robert Kubica, da Williams, demonstrou nesta segunda-feira bastante pessimismo ao falar sobre a expectativa de reestrear na Fórmula 1 no próximo dia 17, no GP da Austrália. O piloto disse estar somente 20% preparado para a prova que marca o seu retorno à categoria depois de oito temporadas longe da principal categoria do automobilismo.

"Provavelmente eu sei 20% das coisas que deveria saber antes de ir para a Austrália. O resto é desconhecido", disse o piloto ao site inglês Autosport. Durante o período em que esteve longe da Fórmula 1, o polonês sofreu um grave acidente enquanto corria de rali, na Itália, en fevereiro de 2011. Ele chegou a ficar internado na UTI e teve o risco de ter a mão direita amputada.

A análise pessimista sobre a primeira prova do ano tem como base a pré-temporada caótica da equipe. A Williams não conseguiu desenvolver o carro a tempo dos testes em Barcelona e o polonês foi o piloto que menos conseguiu dar voltas. Nos testes de durabilidade, em que geralmente os competidores ficam por longos períodos na pista sem parar nos boxes, Kubica não pôde fazer muito. O máximo que conseguiu foi dar 15 voltas seguidas.

Diante de toda essa situação, o piloto admite estar bastante desapontado. "Irei para minha primeira corrida em oito anos sem ter uma preparação ideal, será difícil. Mas essa é a situação e não há como mudá-la. Então, tenho de ter a certeza de que estamos fazendo tudo que podemos para me ajudar", disse o polonês, que terá como companheiro de equipe o estreante inglês George Russell.

Mais conteúdo sobre:
Fórmula 1WilliamsRobert Kubica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.