Lama pára os caminhões do Paris-Dacar

O piloto brasileiro André Azevedo ainda não estreou no Rali Paris-Dacar. Devido às más condições do circuito onde seria realizada a primeira etapa cronometrada, próximo a La Souterraine, interior da França, a organização da prova cancelou a competição para os caminhões. Choveu muito na madrugada de sábado e o circuito de seis quilômetros ficou impraticável. Com a passagem de motos e carros, que largaram antes, o trecho era barro puro.André Azevedo está correndo ao lado dos checos Tomas Tomecek e Mira Martinec com um caminhão Tatra, fabricado na República Checa. O trio fará sua primeira largada neste domingo, para a etapa entre Narbonne, França, e Madri, Espanha. O trecho terá 930 quilômetros, com uma etapa especial (cronometrada) de 35, entre plantações de uva de Chateau Lastours, região famosa pela produção de vinhos.Já Kléver Kolberg, companheiro de André na equipe BR Lubrax, ficou em 13º lugar na classificação geral dos carros, ao lado do francês Pascal Larroque, seu navegador no Mitsubishi Pajero Full. Segundo o piloto brasileiro, não fosse um erro de informação da equipe francesa responsável pela preparação do carro, o resultado poderia ter sido melhor."Eles disseram que não haveria barro e por isso não coloquei os pneus especiais para essa situação", lamentou Kléver, que completou a volta de seis quilômetros em 8min19s, 1min36s atrás da dupla vencedora, Fernando Gil e Rafael Tornabell, da Espanha, com um Seat Cordoba. Em segundo, ficaram seus compatriotas Miguel Prieto e Jacinto Vidarte, de Mitsubishi. E em terceiro os franceses Stephane Peterhansel e Jean-Paul Cottret, de Nissan. A alemã Jutta Kleinschmidt, atual campeã, foi a oitava.Nas motos, os resultados dos cinco pilotos brasileiros não foram dos melhores. Armando Pires, da equipe Drakar, foi o 30º. Juca Bala (BR Lubrax), atual campeão do rali na categoria Super Production até 400 cilindradas, foi o 81º. Marcelo Quelho e Luiz Azevedo, da equipe CDI Competições, ficaram em 93º e 103º, respectivamente. Luiz Mingione, da BR Lubrax, foi o 148º entre os 161 que largaram no sábado frio e chuvoso do interior francês.O francês Pierre Quinonero foi o mais rápido nas motos, com 6min12s, à frente do finlandês Kari Tiainen e do espanhol Joan Roma, os três de KTM, única fábrica que inscreveu uma equipe oficial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.