Lauda nega troca de Brawn por Lowe na Mercedes

O futuro de Ross Brawn como chefe da Mercedes ficou incerto depois que a McLaren anunciou, na última segunda-feira, que Paddy Lowe deixará o cargo de diretor-técnico da equipe ao final desta temporada. A confirmação veio no mesmo dia em que o jornal inglês The Guardian noticiou a saída do dirigente no fim deste ano, o que aumentou os rumores da imprensa europeia de que Lowe poderá substituir Brawn na equipe alemã. Porém, Niki Lauda, sócio e presidente do conselho administrativo do time, negou existir essa possibilidade no momento.

AE-AP, Agência Estado

26 de fevereiro de 2013 | 09h57

A McLaren anunciou na última segunda-feira que Tim Goss assumirá o cargo de Lowe, que assim estaria livre para assumir o posto do atual chefe da Mercedes em 2014, quando a Fórmula 1 passará a contar com muitas mudanças no seu regulamento. Segundo o The Guardian, o atual dirigente da McLaren iria para o time alemão com a missão de projetar o carro do próximo ano, mas Lauda fez questão de respaldar Brawn no seu cargo.

"Não posso dizer oficialmente qualquer coisa porque nada aconteceu ainda", disse o ex-piloto de F1, que depois afirmou que Brawn "permanecerá em sua posição, de modo que tudo está sob controle e em paz".

Cotado para assumir o lugar de Brawn, Lowe trabalhou com Lewis Hamilton na McLaren, pela qual o inglês se sagrou campeão do mundo em 2008 antes de deixar a escuderia ao fim da temporada passada e confirmar a sua transferência para a Mercedes.

Lauda ainda chegou a dizer que se sentiu "surpreso" com o comunicado divulgado pela McLaren, confirmando a saída do seu diretor-técnico ao fim desta temporada, assim como negou a existência de negociações para uma possível saída de Brawn dentro de um curto prazo. "Devo dizer que conheço Ross muito bem, trabalho com ele todos os dias, e ele está motivado. Não há dúvidas", disse o dirigente em entrevista ao canal de TV inglês Sky Sports. "Não há conversas para que ele esteja de saída. Ele está comprometido e é responsável por toda equipe, então vamos esperar e ver o que faremos", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.