Maxim Shemetov / EFE
Maxim Shemetov / EFE

Leclerc comemora segunda pole seguida com a Ferrari: 'Foi uma volta e tanto'

No GP de Mônaco, no entanto, o piloto da escuderia italiana não pôde largar na liderança por problema no carro; dessa vez, de fato, ele será o primeiro do grid

Redação, Estadão Conteúdo

05 de junho de 2021 | 14h42

Charles Leclerc fez a pole position em Mônaco há uma semana e não pôde comemorar, pois acabou com problemas no carro e fora do grid em sua corrida caseira. Neste sábado, também em treino encerrado com bandeira vermelha, em Baku, no Azerbaijão, o monegasco da Ferrari foi o melhor e festejou muito.

"Foi uma volta e tanto", afirmou um entusiasmado piloto, feliz com o progresso da equipe italiana. "Mais um bom dia. Não esperava ser tão competitivo como fomos hoje", disse Leclerc. "Estava melhorando ainda mais o tempo quando surgiu a bandeira vermelha. Mas tudo bem, largando na pole eu fico feliz de qualquer maneira."

Apesar de ter cravado o melhor tempo para sair em primeiro no GP do Azerbaijão, neste domingo, Leclerc revela que cometeu pequenos erros na pista e recebeu ajuda do vice líder do Mundial de Pilotos, o heptacampeão Lewis Hamilton. "Houve duas ou três curvas onde cometi erros, mas é claro que tive o grande reboque de Lewis no último setor, o que me ajudou um pouco", revelou Leclerc. Ele aproveitou o vácuo da volta rápida que o inglês também vinha tentando para fazer sua pole.

Na corrida passada, o treino acabou nos segundos finais por causa de batida de Leclerc. Desta vez, foi seu companheiro quem acabou descontrolando o carro e se acidentando. Leclerc não escondeu a preocupação com Carlos Sainz. "Espero que esteja tudo bem com o Carlos."

Sobre a corrida, Leclerc sabe que não terá tantas chances de vencer como teria se largasse em Mônaco, um circuito de difíceis ultrapassagens. No circuito do Azerbaijão existem pontos mais abertos para pegas emocionantes. "O carro parece muito bom, mas acredito que a Mercedes e a Red Bull têm algo mais do que nós na corrida", admitiu. "Vai ser muito difícil porque aqui não é como Mônaco, eles podem ultrapassar, então vou tentar fazer o melhor trabalho possível e espero que possamos manter o primeiro lugar. Mas será difícil."

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FerrariCharles Leclerc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.