REUTERS/Benoit Tessier
REUTERS/Benoit Tessier

Leclerc critica excesso de erros da Ferrari em GP de Mônaco de F-1

Erros de estratégia da Ferrari custam caro ao piloto monegasco, que termina a prova na quarta posição, após largar na pole-position

Redação, Estadão Conteúdo

29 de maio de 2022 | 15h14

Para um piloto que corria em casa e largou na pole position, Charles Leclerc teve um domingo para ser esquecido no GP de Mônaco, no qual terminou na quarta colocação. Erros de estratégia da Ferrari custaram a vitória e um pódio para o piloto monegasco, que ficou bastante irritado e chegou a esbravejar palavrões no rádio da equipe durante a corrida.

"Às vezes erros acontecem, mas eu acho que houve muitos erros hoje no geral. Obviamente nessas condições, nós ficamos dependentes do que o time pode enxergar e você não, como o que os outros estão fazendo com pneus intermediários e secos. Eu vinha questionando e não entendi a decisão que os fez mudarem de ideia quanto à troca de pneus", disse o piloto.

"Acabei sendo interrompido e precisei parar atrás do Carlos no box. Foram muitos erros e nós não podemos nos dar o luxo de errar assim. Os erros foram tão difíceis quanto os que haviam acontecido anos anteriores, então estou me acostumando com isso. Voltarei para casa desapontado, não podemos fazer isto, especialmente no momento que estamos", afirmou Leclerc.

Após solicitar a troca dos pneus, Leclerc entrou no box junto com Carlos Sainz e precisou esperar a troca de pneus do companheiro ser finalizada. Os segundos foram preciosos e jogaram o monegasco para a quarta colocação.

"Estamos muito fortes no momento, a velocidade é consistente, precisamos aproveitar estas oportunidades, não podemos perder tantos pontos assim. Não foi nem de primeiro para segundo, foi de primeiro para quarto, porque depois do primeiro erro, cometemos outro. Amo meu time e com certeza voltaremos mais fortes, isso machuca muito", finalizou.

RECLAMAÇÕES DA FERRARI

Após parar para pôr pneus slicks na volta 22, Verstappen retornou em terceiro lugar na pista e conseguiu sair à frente de Leclerc. Após uma derrapada, o holandês cruzou uma das linhas amarelas na pista, o que não foi investigado pela FIA. O mesmo aconteceu com Perez, que foi investigado, mas não punido.

Mattia Binotto, chefe da Ferrari, afirmou que as ações de Verstappen foram contra as regras. "Como Ferrari, estamos desapontados porque achamos que houve uma clara violação dos regulamentos dos dois pilotos da Red Bull entrarem na linha amarela após os boxes. Se você olhar o código esportivo, isso condiz cruzamento", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1FerrariCharles Leclerc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.