Andrej Isakovic / AFP
Andrej Isakovic / AFP

Leclerc resiste à pressão, vence e encerra jejum de 9 anos da Ferrari na Itália

Piloto monegasco lidera pelas 53 voltas para garantir um triunfo que equipe italiana não conquistava desde 2010, com Fernando Alonso

Redação, Estadão Conteúdo

08 de setembro de 2019 | 12h12

Charles Leclerc enlouqueceu os fãs da Ferrari, neste domingo, ao vencer o GP da Itália, em Monza, 14ª etapa do Mundial de Fórmula 1. O piloto monegasco resistiu à pressão de Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, ambos da Mercedes, durante as 53 voltas para garantir um triunfo que a tradicional equipe italiana não conquistava desde 2010, com o espanhol Fernando Alonso.

Bottas e Hamilton completaram o pódio. A Renault também se destacou ao colocar o australiano Daniel Ricciardo em quarto e o alemão Nico Hulkenberg em quinto.

Sebastian Vettel, também da Ferrari, acumulou problemas durante a prova e terminou em 13º lugar. O holandês Max Verstappen, que largou em último, terminou em oitavo.

A sete corridas do final da temporada, Hamilton soma 284 pontos, contra 221 de Bottas. Verstappen soma 185, enquanto Leclerc acumula 182. Vettel é o quinto, com 169 pontos. A próxima etapa, dia 20, será em Cingapura.

A largada só registrou uma alteração de posição, com a ultrapassagem de Nico Hulkenberg sobre Vettel, mas o alemão se recuperou ao final da primeira volta.

Na sexta volta, Vettel rodou, voltou rápido para a pista e acabou colidindo com o canadense Lance Stroll, que quase colidiu com o francês Pierre Gasly. Vettel e Stroll acabaram punidos com "stop and go" de dez segundos.

Na frente, Hamilton não desistiu de perseguir Leclerc. O inglês parou nos boxes na 20ª volta e colocou pneus médios. Na volta seguinte, foi a vez do monegasco mudar para pneus duros. Os dois favoritos à vitória voltaram em quarto e quinto lugares, Hamilton pressionou e acabou saindo da pista. A organização da prova deu bandeira preta e branca para Leclerc em sinal de advertência, ao analisar que o piloto teria alterado um pouco sua trajetória durante a disputa de posição.

Os dois passaram por Ricciardo, que estava na segunda colocação e depois superaram Bottas, que parou para trocar pneus e voltou na terceira posição.

Na 33ª volta, os dois primeiros colocados deram uma volta em Vettel, que estava completamente fora da disputa. Hamilton apresentou mais equilíbrio nas curvas, mas a Ferrari de Leclerc nas retas foi muito rápida.

Mas na 36ª volta, após a reta principal, Leclerc errou, passou reto, voltou e ainda conseguiu manter a liderança, apesar da pressão de Hamilton. Com isso, Bottas diminuiu a diferença e chegou nos líderes.

Na 42ª volta foi a vez de Hamilton errar no mesmo local em que Leclerc havia errado seis voltas antes. O inglês voltou, mas atrás de Bottas, que passou a pressionar o piloto da Ferrari. Hamilton perdeu ritmo e acabou parando mais uma vez nos boxes na 50ª volta.

Na 51ª volta, foi a vez de Bottas errar também ao final da reta dos boxes, quando estava a meio segundo de Leclerc. As arquibancadas em Monza festejaram como um gol.

Na última volta Bottas cometeu outro pequeno erro e perdeu contato definitivamente. Os últimos metros foram eletrizantes com o delírio da torcida italiana e de Leclerc.

Confira o resultado do GP da Itália:

1) Charles Leclerc (MON/Ferrari) - em 1h15min26s665

2) Valtteri Bottas (FIN/Mercedes) - +0s835

3) Lewis Hamilton (GBR/Mercedes) - +35s199

4) Daniel Ricciardo (AUS/Renault) - +45s515

5) Nico Hulkenberg (ALE/Renault) - +58s165

6) Alexander Albon (TAI/Red Bull) - +59s315

7) Sergio Perez (MEX/Racing Point) - +1min13s802

8) Max Verstappen (HOL/Red Bull) - +1min14s492

9) Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo) - a 1 volta

10) Lando Norris (GBR/McLaren) - a 1 volta

11) Pierre Gasly (FRA/Toro Rosso) - a 1 volta

12) Lance Stroll (CAN/Racing Point) - a 1 volta

13) Sebastian Vettel (ALE/Ferrari) - a 1 volta

14) George Russell (GBR/Williams) - a 1 volta

15) Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo) - a 1 volta

16) Romain Grosjean (FRA/Haas) - a 1 volta

17) Robert Kubica (POL/Williams) - a 1 volta

Não terminaram a prova Kevin Magnussen (DIN/Haas), Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso) e Carlos Sainz Jr. (ESP/McLaren).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.