Johann GRODER / AFP
Johann GRODER / AFP

Leclerc chega em primeiro no GP da Áustria de Fórmula 1 e Ferrari faz a festa na casa da Red Bull

Monegasco supera Verstappen e conquista segunda vitória seguida para equipe italiana; líder do campeonato é segundo na corrida e Hamilton completa o pódio, em terceiro

Redação, Estadão Conteúdo

10 de julho de 2022 | 12h19

Em uma prova que contou com  grande supremacia da Ferrari durante a prova e com boa dose de dramaticidade no final pela queda de rendimento do seu carro, a equipe italiana fez a festa na casa da Red Bull. O monegasco Charles Leclerc venceu o GP da Áustria neste domingo e colocou a Ferrari no topo do pódio pela segunda prova seguida. Sem conseguir competir na pista, Max Verstappen fez uma corrida regular. Apesar de ter brigado pela ponta no final, ele garantiu o segundo lugar. A surpresa ficou por conta de Lewis Hamilton, que terminou em terceiro  depois de complicações com a Mercedes nos treinos livres de sexta-feira.

A festa da Ferrari só não foi maior por conta da quebra de motor do Carlos Sainz. Pior, ele protagonizou o momento de maior tensão na prova já que seu carro pegou fogo à beira da pista antes de o piloto deixar o cockpit. O estafe da prova agiu rápido e conseguiu controlar o incêndio com extintores. O espanhol saiu do acidente sem ferimentos. O GP da Áustria foi a quinta vitória na carreira de Charles Leclerc e a terceira na temporada. Na classificação de pilotos, Verstappen segue em primeiro com 208 pontos. Leclerc subiu para 170 e aparece em segundo superando Sérgio Pérez, da Red Bull, com 151. Carlos Sainz, também da Ferrari vem com 133.

A CORRIDA

Max Verstappen fez uma largada calculada e conseguiu manter a dianteira perseguido por Charles Leclerc. Já Carlos Sainz tomou pressão de George Russel na disputa do terceiro lugar que contou ainda com presença de Sérgio Perez, que acabou levando a pior e, ao ser tocado pelo piloto da Mercedes, foi para fora da pista. Outro duelo que chamou a atenção nas primeiras voltas foi a briga entre Lewis Hamilton e Mick Schumacher. O piloto da Haas foi para cima do britânico e ganhou a sétima posição.

Apesar de ter cumprido uma boa largada, Verstappen passou a sofrer com as investidas de Leclerc. Na décima volta, ele chegou a levar vantagem na curva, mas o holandês teve uma melhor retomada e conseguiu se manter em primeiro. Duas voltas depois, porém, a Ferrari pode comemorar a primeira posição na prova. O monegasco Charles Leclerc abriu a asa e tomou a frente na corrida. A perda da dianteira fez a Red Bull antecipar a parada nos boxes e a estratégia fez Verstappen perder várias posições

A força da Ferrari e da Red Bull, no entanto, logo restabeleceu a ordem esperada. Já no 19º giro, o holandês surgiu em terceiro com os carros vermelhos de Lecler e Sainz nas primeiras posições. A boa surpresa ficou com Hamilton. Depois da batalha particular com Schumacher, ele conseguiu imprimir um bom ritmo, chegou a ficar em terceiro, mas com a arrancada de Verstappen, se segurou na quarta colocação.

A volta 25 acabou decretando o fim da corrida para Sérgio Pérez. Afetado pelo acidente da largada, ele foi para a última colocação e a sua Red Bull perdeu potência. Sem rendimento para competir, o piloto mexicano acabou deixando a corrida. A parada das Ferraris nos boxes provocou novas mudanças no pelotão de frente. O holandês da RBR retomou a ponta com Leclerc e Sainz na segunda e terceira posição. Essa liderança, no entanto, não durou muito tempo. Com um rendimento muito bom, o piloto monegasco voltou a botar pressão e, na volta 31, recuperou o primeiro posto.

A segunda metade da prova foi administrada com tranquilidade por Leclerc, que abriu seis segundos de vantagem para Sainz e 18 segundos de frente para Verstappen, na terceira posição.  Sem chance de defender posição, o piloto da Red Bull retornou aos boxes e apostou em pneus duros. 

PARADA NOS BOXES

O GP da Áustria foi uma mostra de que a estratégia de parada nos boxe era mais do que necessária. A Ferrari se utilizou desse artifício pela segunda vez e, novamente, se deu bem. Leclerc voltou a ceder o primeiro posto para o rival holandês, mas no retorno, seu carro seguiu mais rápido. Assim, pela terceira vez na corrida, ele superou o carro da Red Bull com facilidade e retomou a ponta.

Um susto aconteceu já na parte final da corrida. O motor do carro de Carlos Sainz, que vinha em terceiro, quebrou e ele abandonou a pista. No acostamento, o carro começou a pegar fogo  com o espanhol ainda no cockpit. O estafe da corrida, no entanto, chegou para controlar a situação com extintores e o piloto ferrarista saiu sem problemas. No final, quando a vitória parecia definida, Leclerc passou a ficar mais lento e permitiu a aproximação de Verstappen. Com problemas no acelerador, ele guiou o carro com dificuldade e conseguiu cruzar a linha de chegada em primeiro lugar.

Confira a classificação final do GP da Inglaterra:

1º - Charles Leclerc (MON/FERRARI), em 1h24m24s312

2º - Max Verstappen (HOL/Red Bull), a 1.532

3° - Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 41.217

4º - Goerge Russel (ING/Mercedes), a 58.972

5º - Esteban Ocon (FRA/Alpine), a 1h08.436

6º - Mick Schumacer (ALE/Haas), a 1 volta

7º - Lando Norris (CAN/McLaren), a 1 volta

8º - Kevin Magnussen (DIN/Haas), a 1 volta

9º - Daniel Ricciardo (AUS/McLaren), a 1 volta

10º - Fernando Alonso (ESP/Alpine) a 1 volta

11º - Valtteri Bottas (FIN/Alfa Romeo) a 1 volta

12 - Alexandre Albon (TAI/Williams), a 1 volta

13º - Lance Stroll (CAN/Aston Martin) a 1 volta

14º - Zhou Guanyu (CHI/Alfa Romeo), a 1 volta

15º - Sebastian Vettel (ALE/Aston Martin), a 1 volta

16º - Pierre Gasly (FRA/Alphatauri) a 1 volta

17º - Yuki Tsunoda (JAP/AlphaTauri), a 1 volta

Não completaram a prova

Carlos Sainz Jr. (ESP/Ferrari)

Nicholas Latifi (CAN/Williams)

Sérgio Perez (MEX/Red Bull)

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Charles Leclerc

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.