Lembra desse GP? Acidentes, tragédia e corridas tumultuadas na Bélgica

Spa-Francorchamps foi local de disputas acirradas e, por vezes, até desonestas

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

23 de agosto de 2013 | 08h00

SÃO PAULO - Depois das férias europeias de verão, o calendário da Fórmula 1 retorna com a prova em uma das pistas preferidas pelos pilotos. Spa-Francorchamps, na Bélgica, é o circuito mais longo da categoria, com 7 km de extensão. Foi no seletivo traçado que Michael Schumacher ganhou sua primeira prova da carreira, em 1992, e antes disso, Ayrton Senna conquistou cinco vitórias entre os anos de 1985 e 1991. A Bélgica é uma etapa tradicional da Fórmula e receberá neste fim de semana o seu 58º GP. Além de Spa, os autódromos de Nivelles e Zolder também já receberam provas e com toda essa rica história, o Estado escolheu cinco corridas marcantes realizadas no país.

1966

A corrida no antigo circuito de 14 km de Spa marcaria uma reviravolta nas normas de segurança da categoria. A intensa chuva fez com que apenas sete dos 17 pilotos continuassem na pista após a primeira volta. Um dos que abandonaram foi o escocês Jackie Stewart, da BRM. Ele saiu da pista, bateu forte na proteção e mesmo preso nas ferragens, nenhum fiscal apareceu para lhe ajudar. Dois pilotos que tinham se acidentado antes na mesma curva, Graham Hill e Bob Bondurant, pegaram uma caixa de ferramentas de um espectador para tirar Stewart das ferragens. Feito isso, tiveram de esperar mais algum tempo até a chegada da ambulância. Porém a sucessão de erros ainda não havia terminado. Com a clavícula fraturada e costelas lesionadas, o escocês foi levado primeiramente a um hospital que estava fechado. Depois desse contratempo, o ferido chegou a um centro médico com pouquíssima infraestrutura e para ser atendido, foi colocado em uma maca suja de lixo e bitucas de cigarro. Após se recuperar do susto, Stewart passou a brigar por mais condições de segurança. A prova naquele ano foi vencida por John Surtees, da Ferrari, que ultrapassou Jochen Rindt, da Maserati, a cinco voltas do fim para ficar com a vitória.

1982

O canadense Gilles Villeneuve, da Ferrari, era um piloto arrojado e de grande respeito na categoria. No autódromo de Zolder, no GP da Bélgica, ele chegava com o moral de ter sido em segundo colocado na prova anterior, em San Marino, mas a expectativa de fazer uma grande corrida terminou cedo. Ainda no treino classificatório de sábado, ao abrir a volta, o canadense viu o carro do alemão Jochen Mass lento e foi para a ultrapassagem. Os dois não se entenderam sobre para qual lado deveriam ir e a Ferrari, ao tocar na roda da March, decolou. O carro se desintegrou no ar e o acidente causou a morte de Villeneuve. Em luto, a prova foi realizada e terminou com a vitória de John Watson, da McLaren.

1995

Michael Schumacher, da Benetton, e Damon Hill, da Williams, lutavam palmo a palmo pela liderança do campeonato. Mas na Bélgica os favoritos foram surpreendidos pelo tempo instável e se deram mal na classificação. O alemão partiu em 16º e o inglês, em 8º. Porém após a largada os dois reagiram. Na sexta volta o piloto da Benetton já era o quinto, enquanto Hill estava na segunda posição. A partir da 15ª das 44 voltas os dois duelaram diretamente pela liderança em uma disputa emocionante entre paradas nos boxes e alternâncias entre pneus de pista de seca e de chuva. Schumacher terminou em primeiro, seguido de Hill, que após a corrida acusou o alemão de ter sido muito agressivo durante a disputa.

1998

Chuva, batidas e tumultos marcaram a prova, que teve um grande acidente coletivo logo na largada, quando 12 carros bateram. Os comissários levaram uma hora para tirar os destroços e depois disso, o grid foi realinhado para a corrida começar. Quatro pilotos não conseguiram retornar para essa segunda parte, que reviveu uma rivalidade antiga. Damon Hill, da Jordan, e Michael Schumacher, da Ferrari, disputaram a liderança. O alemão estava na frente até a 25ª volta, quando encontrou o retardatário David Coulthard, da McLaren. Com a chuva forte e a falta de visibilidade, o alemão bateu no lento carro do escocês e deixou a prova. Revoltado, Schumacher foi até os boxes da McLaren para tirar satisfações com Coulthard e precisou ser contido pelos mecânicos. Na pista, Damon Hill segurou a Jordan na pista molhada e rumou para a sua última vitória na carreira.

2008

A prova movimentada começou com uma incrível largada do finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari, que na primeira volta saiu do quarto para o primeiro lugar. A seis voltas do fim começou a chover e a prova ficou totalmente imprevisível. No longo circuito de Spa, algumas partes do asfalto estavam molhadas e outras, não. A tensão ficou ainda maior com as tentativas de ultrapassagem de Lewis Hamilton, da McLaren, sobre o líder. Quatro voltas depois os dois protagonizaram uma intensa disputa, com saída de pista e toques, já sob chuva mais forte. Então Hamilton enfim conseguiu passar o finlandês, que logo depois, bateu. O inglês recebeu a bandeira quadriculada e até subiu no pódio, mas foi punido pela FIA, que considerou ilegal as manobras dele na disputa com Raikkonen. Ao tempo final de corrida do piloto da McLaren foi acrescentado 25 segundos e de primeiro, ele caiu para terceiro. O brasileiro Felipe Massa, da Ferrari, foi declarado o vencedor.

Tudo o que sabemos sobre:
velocidadeFórmula 1GP da Bélgica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.