ANDREJ ISAKOVIC / AFP
ANDREJ ISAKOVIC / AFP

Hamilton vence briga com vizinhos em Conselho para derrubar árvore na sua mansão de R$ 113 milhões

Moradores alegam que piloto da Mercedes estaria 'destruindo a natureza' caso retirasse a ameixeira de seu casa, em Londres

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de abril de 2022 | 14h29

Se Lewis Hamilton não vem tendo sorte nas pistas, fora delas o heptacampeão continua sua rotina de vitórias - até mesmo as mais peculiares. Recentemente, o piloto britânico conseguiu o direito de cortar uma árvore em sua mansão de 18 milhões de libras (cerca de R$ 113 milhões), no bairro de Kensington, em Londres, contrariando os vizinhos, contrários à derrubada. 

O caso foi levado pelos moradores ao Conselho da região. Eles alegaram que Hamilton estaria "destruindo a natureza" se cortasse a "linda" árvore, uma ameixeira, do quintal de sua casa. O luxuoso imóvel vitoriano conta com um jardim de 60 metros de expansão, além de uma garagem particular, segundo consta Serviço de Relatórios de Democracia Local (LDRS, na sigla em inglês).

A LDRS também afirmou que, desde a compra da propriedade, o piloto da Mercedes já realizou diversos serviços de aprimoramento e restauração em sua mansão. Dentre estes, portões de metal e um muro foram erguidos fora do terreno no ano passado, para "melhorar o caráter e a privacidade do edifício", como afirmou um relatório de planejamento do Conselho.

Essa não é a primeira vez que o heptacampeão mundial se envolve em polêmicas com seus vizinhos. Em 2020, Hamilton planejava demolir uma antiga casa de verão de seu quintal de Hamilton, fato que irritou os moradores locais. 

Além disso, um desses vizinhos, que vive na região há mais de 20 anos, afirmou que o piloto britânico, desde a compra do imóvel, "nunca colocou o pés na mansão". 

Tudo o que sabemos sobre:
Lewis HamiltonMercedes-BenzFórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.