Arquivo pessoal/Felipe Baptista
Arquivo pessoal/Felipe Baptista

Líder da Stock Light, Felipe Baptista quer entrar na Stock Car e fazer história ao lado de ídolos

Em entrevista ao 'Estadão', piloto de 18 anos citou Daniel Serra e Ricardo Maurício como referências, assim como Hamilton e Verstappen na F-1

Entrevista com

Felipe Baptista, piloto da Stock Light

João Paulo dos Santos, Especial para o Estadão

19 de novembro de 2021 | 12h00

Com apenas 18 anos e em sua segunda temporada da Stock Light, divisão de acesso à Stock Car, o piloto Felipe Baptista quer chegar na principal categoria do automobilismo brasileiro e fazer história ao lado de ídolos já em 2022. Nascido em São Paulo e com inspiração em casa, onde o irmão mais velho Vitor Baptista também é piloto, Felipe começou ainda criança no automobilismo pelo Kart, onde se destacou com títulos como o tricampeonato da Copa São Paulo Light, Campeonato Brasileiro Júnior e Campeonato Brasileiro Graduado.

Hoje o jovem corre pela equipe KFT na Stock Light após vencer o reality show Next Season, cujo prêmio principal era uma temporada completa na categoria com 100% das despesas custeadas pela equipe de Enzo Bortoleto. Logo em sua primeira temporada, Felipe se destacou e foi o melhor piloto entre os estreantes. Neste ano, em primeiro lugar, ele busca o título que dará premiação equivalente a R$ 1,2 milhão ao campeão, concedido em insumos a serem totalmente utilizados em uma temporada na Stock Car.

"Participar do Next Season foi incrível! Uma oportunidade única", afirma Felipe que, em sua segunda temporada, é líder da Stock Light e favorito ao título, que dá uma vaga na Stock Car Pro Series 2022, sonho do piloto. "Desde o kart, eu já queria ir para a Stock Car e, com esse auxílio do Next Season, acho que deu uma encurtada nesse caminho", disse.

Na categoria principal estão alguns dos ídolos da jovem promessa, que menciona os nomes de Daniel Serra e Ricardo Maurício como referências no cenário nacional, assim como lembra Lewis Hamilton e Max Verstappen na cena internacional da F-1. Felipe, inclusive, quer fazer história na Stock Car antes de tentar se lançar internacionalmente. "Os meus maiores objetivos são conseguir criar uma carreira sólida na Stock Car. E, nos próximos anos, tentar alguma coisa na Europa", conta. 

O automobilismo já estava na sua família, como foi para você começar no esporte tão cedo e crescer com ele?

Realmente o automobilismo já estava na família, meu irmão iniciou isso quando eu era muito novinho. Então, basicamente cresci dentro das pistas, acompanhando-o nos treinos. Tomei gosto, quis começar a andar também. Desde muito cedo, já andava de kart e acho que isso fez com que tivesse uma evolução. Acho que isso me ajudou muito nos dias de hoje, depois de tanto tempo, já estar competindo em um nível mais alto.

Como foi participar do reality show Next Season? A Stock Car já estava nos planos?

Participar do Next Season foi incrível! Uma oportunidade única que a KTF conseguiu com esse reality show, fazendo com que o piloto vencedor entrasse nesse mundo da Stock Car, iniciando pela Stock Light e conseguindo traçar um caminho nessa escada. A Stock Car já estava nos planos sim, desde o kart, eu já queria ir pra Stock Car e com esse auxílio do Next Season, acho que deu uma encurtada nesse caminho.

Na primeira temporada na Light, você terminou como o melhor estreante. Neste ano, está liderando com seis vitórias. Como está sendo o campeonato para você e a expectativa para as últimas duas corridas do ano?

Realmente no ano passado, foi um ano de aprendizado, mas a gente terminou a temporada muito bem e já começou este ano bem também. Então, acredito que a expectativa para as duas próximas etapas é boa, a gente tem um carro bom, uma equipe que está extremamente focada e muito entrosada para buscar esse título. A gente tem tudo na mão para conseguir fazer com que isso se torne realidade. Acho que tem tudo para dar certo.

O objetivo é vencer o campeonato e ganhar a chance na categoria principal da Stock Car. Como você vê essa oportunidade?

Com certeza o objetivo é vencer esse ano para conseguir uma vaga na principal e disputar com os maiores do Brasil. Acho que essa é uma oportunidade que poucos pilotos tem e a gente tem de lutar e buscar com o máximo de forças esse título para que possa no ano que vem estar disputando com os gigantes da categoria.

Quais são suas referências no esporte, tanto internacional quanto nacionalmente?

Internacionalmente, tanto Lewis Hamilton quanto Max Verstappen são as duas principais referências. Falando nacionalmente, hoje existem alguns no Brasil que são muito bons nos quais me inspiro como Serrinha (Daniel Serra), o Ricardo Maurício.. E um cara também dentro da minha família, meu irmão. Ele é um cara que é muito esforçado, muito rápido e que sempre foi um um ótimo piloto, então sempre gosto de me inspirar nele.

Com quem gostaria de trabalhar na Stock Car? Qual é sua equipe/dupla de pilotos dos sonhos?

A equipe que eu estou (KTF) é uma equipe muito boa, muito bem estruturada e vem crescendo bastante. Ela já é muito boa, mas a cada ano que passa ela está conseguindo se estruturar melhor e crescer mais dentro do esporte. Então acho que ela é uma equipe na qual eu gostaria de ficar. E os pilotos dela são muito bons, o Gaetano Di Mauro e o Guilherme Salas. A equipe basicamente já está formada então eu acho que é uma equipe dos sonhos.

Na atual temporada da Pro Series, está torcendo para algum piloto ganhar o campeonato? Quem acha que leva o título?

Eu não estou torcendo para ninguém especificamente. Só estou torcendo para que tenha boas corridas e um show bonito para gente curtir bastante. Está difícil de dizer quem vai ganhar o título, está muito disputado. O (Gabriel) Casagrande está bem no campeonato, mas eu também não duvido que o Serrinha não consiga chegar lá no fim do ano para brigar e talvez até ganhar o título. Está tendo uma briga acirrada entre eles, mas nenhum favorito da minha parte.

Quais são seus maiores objetivos na carreira?

Os meus maiores objetivos são conseguir criar uma carreira sólida na Stock Car e nos próximos anos tentar alguma coisa na Europa, alguma equipe oficial de fábrica e correr nas 24 horas de Le Mans, nas corridas de endurance.

O que gostaria de dizer para os fãs de automobilismo que não te conhecem, o que eles podem esperar?

Eu sou um menino ainda né, mas podem esperar muita evolução nos próximos anos que vou batalhar, vou lutar muito para conseguir chegar na Stock Car e disputar com os melhores lá dentro. Podem esperar um menino focado e que vai batalhar para estar lá na frente da maior categoria do Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.