Liderança não ilude Gil de Ferran

A vitória foi bonita, o plano de sair de Houston na liderança do campeonato alcançado, mas nada de comemoração. Essa foi a decisão de Gil de Ferran, que limitou a festa pelo triunfo de deste domingo ao pódio, à celebração com a família e os integrantes da equipe Penske, mas foi dormir pensando na próxima etapa, no domingo, em Laguna Seca. "Bem que eu gostaria de comemorar, ainda mais porque foi uma vitória expressiva. Dominei praticamente todos os treinos (só não foi mais rápido no warm-up), mas não dá para relaxar. O campeonato é duro e tenho de começar a me preocupar com Laguna Seca", disse Gil.Ele mantém-se fiel à sua filosofia de "não tirar o olho da bola" e, por isso, já está pensando na estratégia que usará em Laguna Seca. "A vitória foi gostosa, bonita, mas acabou. Vamos em frente." Gil entende que a vantagem de 10 pontos que abriu para o sueco Kenny Brack (163 a 153) o deixa numa posição relativamente confortável. "Continuo obrigado a ser constante e obter bons resultados." Já Brack estava desapontado. "Meu carro estava muito difícil de guiar, principalmente na primeira parte da prova. Agora é tentar fazer um trabalho melhor em Laguna Seca", afirmou o sueco, sétimo neste domingo.O desapontamento de Brack era semelhante ao do brasileiro Maurício Gugelmin, da PacWest, que estava com um carro rápido, bem acertado para o ondulado circuito texano, mas viu suas chances de pódio irem embora na volta 77, quando o câmbio quebrou. "Fui perdendo as marchas, a quarta, a quinta, a sexta, e tive de parar. É uma pena, dava para chegar em terceiro." Em compensação, Hélio Castro Neves estava feliz com o quinto lugar, que lhe fez ganhar uma posição na classificação geral do campeonato -agora é o terceiro. "Na primeira parte, tentamos economizar combustível e pneus. Queríamos jogar com as bandeiras amarelas. Mas aconteceram poucas (quatro) e isso comprometeu a estratégia. Mas o quinto lugar está bom".

Agencia Estado,

07 de outubro de 2001 | 20h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.