Divulgação
Divulgação

Lorenzo largará na pole em Valência e fica perto do título na MotoGP

Marc Márquez domina boa parte da atividade, mas será o 2º

Estadão Conteúdo

07 de novembro de 2015 | 12h24

A grande polêmica ao longo das últimas duas semanas pareceu não influenciar o desempenho de Jorge Lorenzo no treino para a etapa de Valência da MotoGP, que acontece neste domingo e será a última da temporada 2015. O espanhol cravou a pole no treino deste sábado e deu um passo importante para conquistar o título do Mundial.

Lorenzo viu seu compatriota Marc Márquez ficar na frente durante boa parte do treino de classificação, mas ganhou a pole ao completar sua melhor volta em 1min30s011. Márquez largará na segunda posição, após ter cravado o tempo de 1min30s499. Atrás dele, estará outro espanhol, Dani Pedrosa, que marcou 1min30s516.

O desempenho neste sábado, mais de quatro décimos mais rápido que o segundo colocado, surpreendeu o próprio Lorenzo, que celebrou a atuação em momento tão decisivo. "Foi a melhor volta da minha vida. Estou seguro de que posso repeti-la 20 vezes e ela não sairá outra vez assim", declarou na saída do treino.

É com este resultado que o espanhol sairá na frente pela quinta vez nesta temporada. Mesmo ocupando atualmente a segunda colocação na tabela do Mundial, ele é o grande favorito para ficar com o título, que seria o terceiro de sua carreira na categoria - os outros foram em 2010 e 2012.

Isto porque seu maior concorrente, o líder Valentino Rossi, largará na última colocação no domingo. Neste sábado, o italiano foi apenas o 12.º do treino de classificação, com a marca de 1min31s471, mas o resultado pouco importava. O heptacampeão sofreu uma punição por um incidente na última etapa.

Na Malásia, no último dia 25, Rossi seria ultrapassado por Marc Márquez quando deu um toque com o pé na moto do rival, empurrando-o para fora da pista. O acidente tirou o espanhol da prova e garantiu a terceira colocação, que estava em disputa, para o italiano.

Só que as imagens flagraram o chute de Rossi e o piloto acabou punido, justamente tendo que largar na última colocação da etapa final do Mundial. A sanção, aliás, gerou uma grande polêmica, que resultou até em uma troca de farpas que beirou uma guerra diplomática entre os dois países, com representantes dos governos italiano e espanhol opinando e defendendo seus compatriotas.

Rossi chegou a recorrer contra a punição na Corte Arbitral do Esporte (CAS), mas sem sucesso. Por isso, mesmo liderando a temporada com sete pontos de vantagem para Lorenzo - 312 a 305 -, o italiano vê o favoritismo nas mãos do espanhol, principalmente agora, já que largará 25 posições atrás do rival.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.