Silvia Izquierdo/AP
Silvia Izquierdo/AP

Lotus promete carro competitivo para manter Raikkonen

Finlandês pode deixar a escuderia para ir para a Red Bull

AE, Agência Estado

09 de julho de 2013 | 09h57

SÃO PAULO - A Lotus sabe que a possibilidade de perder Kimi Raikkonen ao término da temporada 2013 da Fórmula 1 é real, mas aposta em ter um carro competitivo para convencer o piloto finlandês a renovar o seu contrato com a equipe. Chefe da escuderia, Eric Boullier lembrou que a Lotus lutou pela vitória com a Red Bull no último fim de semana, no GP da Alemanha, o que vem sendo recorrente nesta temporada.

"Eu acho que ele gosta da equipe e das pessoas da equipe. Ele se sente confortável com eles. Às vezes você tem um bom carro no início da temporada, mas a questão é se você vai ser capaz de manter-se nesse nível - e Kimi pode ver que nós podemos fazê-lo. Com muito menos recursos do que a Red Bull ainda podemos desenvolver o carro e competir no mesmo nível", disse.

O dirigente da Lotus reconheceu que o salário oferecido pode ser decisivo para a escolha de Raikkonen, pois o finlandês, de 33 anos, está perto de se aposentar da Fórmula 1. Boullier, porém, rejeitou a possibilidade de fazer um "leilão" para manter Raikkonen.

"Durante a vida, você passa por diferentes fases e na cabeça de Kimi deve haver a consideração de que o próximo contrato é o seu último. Então, sim, é possível que no final poderemos ter que levar em consideração algumas questões financeiras", disse. "Vamos oferecer o que acreditamos ser o melhor para Kimi e para nós", completou.

Boullier, ressaltou, porém, que a escolha entre Lotus e Red Bull está nas mãos apenas de Raikkonen. "É verdade que a Red Bull está fazendo de tudo para contratar Kimi e eu tenho certeza que eles vão fazer uma bela proposta para ele, até mesmo facilitando sua vida profissional. Mas, de novo: será a decisão de Kimi", afirmou.

De acordo com Boullier, a Lotus já trabalha com a possibilidade de contratar outro piloto se Raikkonen deixar a equipe. "Eu sempre tenho um plano B, e estamos em uma posição favorável em que somos o time mais desejado por alguns grandes pilotos. Muitos pilotos estão falando com a gente, por isso se essa situação ocorrer, eu tenho um plano B, mas não vou compartilhar isso agora", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.