Virgin/Divulgação - 6/11/2010
Virgin/Divulgação - 6/11/2010

Lucas Di Grassi vira piloto oficial de testes da Pirelli para a Fórmula 1

Brasileiro fará ao menos cinco avaliações dos compostos ao longo da temporada 2011

AE, Agência Estado

06 Julho 2011 | 08h58

MILÃO - A Pirelli anunciou nesta quarta-feira que Lucas di Grassi será o piloto oficial de testes da fornecedora de pneus da Fórmula 1 até o final deste ano. Depois de correr pela Virgin na temporada passada, o brasileiro fará ao menos cinco avaliações dos compostos ao longo desta temporada, a bordo de um carro da Toyota, visando o desenvolvimento dos mesmos para o Mundial de 2011 e também para o de 2012.

Di Grassi já havia realizado alguns testes pela Pirelli anteriormente, substituindo o Pedro de la Rosa em circuitos como Istambul e Jerez de la Frontera, já que o piloto espanhol voltou a trabalhar para a McLaren, mas agora o brasileiro foi oficializado na função.

Paul Hembery, diretor esportivo da Pirelli, afirmou que as experiências realizadas por Di Grassi foram fundamentais para a sua escolha como piloto de testes. "Lucas nos impressionou muito não apenas com seu ritmo, o que é vital se nós estamos buscando simular condições de corrida, mas também pelo seu retorno técnico perante os engenheiros. Estou muito feliz por receber Lucas na equipe", afirmou o dirigente.

Di Grassi irá marcar presença no circuitos em todos os finais de semana de corrida neste ano, a começar pelo GP da Grã-Bretanha, que será realizado no próximo domingo, no circuito de Silverstone. "A Pirelli fez um trabalho fantástico em um curto espaço de tempo, e estou ansioso para ajudar a tornar os pneus P-Zero ainda melhores no futuro: não apenas para os pilotos e equipes, mas para os espectadores também", afirmou Di Grassi, para depois comemorar o acordo firmado com a empresa.

"Essa é uma grande oportunidade para eu ter mais tempo atrás de um volante de um carro de F1, o que é difícil nesses dias por conta do atual regulamento de testes, e também para usar meu conhecimento para ajudar a fazer a diferença no esporte", reforçou o brasileiro, de 26 anos, que trabalha na F-1 desde 2005, quando assumiu a função de piloto reserva da Renault.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.