Magnata asiático quer comprar a F-1

Uma notícia divulgada por um jornal inglês, nesta segunda-feira, promete sacudir o circo da Fórmula 1. A companhia multimídia Tom, de propriedade do magnata chinês Li Ka-shing, de Hong Kong, ofereceu 1 bilhão de dólares para ter o controle da categoria mais importante do automobilismo mundial. O grupo Tom é um dos mais ricos do mundo e comanda duas redes de televisão da China e vários negócios no campo da publicidade. O magnata Li Ka-shing já foi considerado, até pouco tempo atrás, o homem mais rico da Ásia. O problema para concretizar o negócio está no fato de o comando da Fórmula 1 ter vários donos. O milionário Bernie Ecclestone possui 25% das ações e as empresas JPMorgan, Lehman Brothers e BayernLB têm os 75% restantes. Uma possibilidade para o grupo Tom é que a relação entre as empresas não é boa e, por isso, elas poderiam considerar a proposta e vender suas participações, que incluem os direitos comerciais da Fórmula 1. Outro empecilho para a entrada da Tom é a negociação entre Ecclestone e os donos das escuderias sobre a renovação do atual acordo de distribuição dos direitos comerciais, que termina em 2007. As equipes pensam em criar uma liga paralela, a Grand Prix World Championship, após o término do atual compromisso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.