Vipcomm
O piloto paulista Jean Azevedo está em sua 18ª participação Vipcomm

Maior e mais perigoso do mundo, rali Dacar tem novo percurso

10 brasileiros participam da tradicional prova, que começa no dia 2

RICARDO RIBEIRO, ESPECIAL PARA O ESTADO DE S. PAULO

29 de dezembro de 2015 | 12h00

O rali Dacar, o maior e mais perigoso rali do mundo, realizado desde 2009 em países da América do Sul, tem sua largada no dia 2 de janeiro, em Buenos Aires. Serão 10 pilotos e navegadores brasileiros divididos em quatro categorias: Carros e UTVs (110), Motos (143), Quadriciclos (46) e Caminhões (55). A prova terá pouco mais de 9.000 quilômetros até a chegada, no dia 16 de janeiro, em Rosário, cidade da Argentina famosa por ter como filhos ilustres Lionel Messi e Che Guevara. A competição também passará pela Bolívia, no famoso salar de Uyuni, maior deserto de sal do mundo. Ao todo serão 354 veículos e 556 competidores de 60 nacionalidades. As imagens da competição serão transmitidas para 190 países.

Nas motos, o paulista Jean Azevedo será o representante do Brasil pela equipe Honda South America Rally Team, com uma CRF 450 Rally. Nos carros, três duplas com Mitsubishi: os paulistas Guilherme Spinelli e Youssef Haddad e o baiano João Franciosi e o catarinense Gustavo Gugelmin, da equipe Petrobras, vão pilotar um modelo ASX. Os paranaenses Jorge Wagenfuhr e Joel Kravtchenko correrão com uma Mitsubishi Evo. Nos UTVs, que não têm categoria especifica e está na mesma listagem dos carros, aparecem o carioca Leandro Torres e o experiente navegador paulista Lourival Roldan (Polaris). Nos quadriciclos, o maranhense Marcelo Medeiros (Yamaha).

A disputa não será fácil para os brasileiros. Afinal, vão enfrentar os pilotos mais experientes do mundo. Entre eles, nos carros, os franceses Stéphane Peterhansel e Cyril Despres, os espanhóis Nani Roma e Carlos Sainz, o argentino Orlando Terranova, o “príncipe do deserto”, Nasser Al Attiyah, do Catar, e Giniel De Villiers, da África do Sul. Peterhansel, chamado de “Mister Dacar”, é 11 vezes campeão da prova (seis de moto e cinco de carro) e já venceu 65 etapas nas duas categorias. Um fenômeno.

 

Nas motos, uma incógnita. Os grandes campeões depois da era Peterhansel, o francês Cyril Despres e o espanhol Marc Coma, já não competem mais em duas rodas pela KTM. Despres agora é piloto de carro (Peugeot) e Coma é o atual diretor do Dacar. Caminho aberto para novos. Entre eles estão o português Paulo Gonçalves e o espanhol Joan Barreda, da HRC (Honda Racing Corporation), o britânico Sam Sunderland, da KTM, o chileno Pablo Quintanilla (Husqvarna) e o português Helder Rodrigues (Yamaha).

Tudo o que sabemos sobre:
velocidadeJean Azevedorali Dacar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

CONFIRA O CALENDÁRIO DAS CORRIDAS DO RALI DACAR 2016

Edição começa no dia 2 e termina no dia 16

RICARDO RIBEIRO, ESPECIAL PARA O ESTADO DE S. PAULO

29 de dezembro de 2015 | 12h00

ETAPA A ETAPA

02/01: Largada promocional Buenos Aires (ARG) – Rosário (ARG)

Motos, Quadriciclos, Carros, Caminhões

Total: 346 quilômetros – Trecho Cronometrado: 11 quilômetros

03/01: Rosário (ARG) – Villa Carlos Paz (ARG)

Motos e Quadriciclos – Total: 632 quilômetros – Trecho Cronometrado: 227 quilômetros

Carros e Caminhões – Total: 662 quilômetros – Trecho Cronometrado: 258 quilômetros

04/01: Villa Carlos Paz (ARG) – Hondo Termas de Río (ARG)

Motos e Quadriciclos – Total: 786 quilômetros – Trecho Cronometrado: 450 quilômetros

Carros e Caminhões – Total: 858 quilômetros – Trecho Cronometrado: 521 quilômetros

05/01: Termas do Río Hondo (ARG) – Jujuy (ARG)

Motos e Quadriciclos – Total: 663 quilômetros – Trecho Cronometrado: 314 quilômetros

Carros e Caminhões – Total: 663 quilômetros – Trecho Cronometrado: 314 quilômetros

06/01: Jujuy (ARG) – Jujuy (ARG)

Motos, Quadriciclos e Carros – Total: 629 quilômetros – Trecho Cronometrado: 429 quilômetros

Caminhões – Total: 619 quilômetros – Trecho Cronometrado: 418 quilômetros

07/01: Jujuy (ARG) – Uyuni (BOL)

Motos e Quadriciclos – Total: 642 quilômetros – Trecho Cronometrado: 327 quilômetros

Carros e Caminhões – Total: 642 quilômetros – Trecho Cronometrado: 327 quilômetros

08/01: Uyuni (BOL) – Uyuni (BOL)

Motos, Quadriciclos e Carros – Total: 723 quilômetros – Trecho Cronometrado: 572 quilômetros

Caminhões – Total: 600 quilômetros – Trecho Cronometrado: 295 quilômetros

09/01: Uyuni (BOL) – Salta (ARG)

Motos e Quadriciclos – Total: 793 quilômetros – Trecho Cronometrado: 353 quilômetros

Carros e Caminhões – Total: 793 quilômetros – Trecho Cronometrado: 353 quilômetros

10/01: Dia de descanso em Salta (ARG)

11/01: Salta (ARG) – Belén (ARG)

Motos e Quadriciclos – Total: 766 quilômetros – Trecho Cronometrado: 393 quilômetros

Carros e Caminhões – Total: 766 quilômetros – Trecho Cronometrado: 393 quilômetros

12/01: Belén (ARG) – Belén (ARG)

Motos e Quadriciclos – Total: 436 quilômetros – Trecho Cronometrado: 285 quilômetros

Carros e Caminhões – Total: 396 quilômetros – Trecho Cronometrado: 285 quilômetros

13/01: Belén (ARG) – La Rioja (ARG)

Motos e Quadriciclos – Total: 561 quilômetros – Trecho Cronometrado: 278 quilômetros

Carros e Caminhões – Total: 763 quilômetros – Trecho Cronometrado: 278 quilômetros

14/01: La Rioja (ARG) – San Juan (ARG)

Motos e Quadriciclos – Total: 712 quilômetros – Trecho Cronometrado: 431 quilômetros

Carros e Caminhões – Total: 712 quilômetros – Trecho Cronometrado: 431 quilômetros

15/01: San Juan (ARG) – Villa Carlos Paz (ARG)

Motos, Quadriciclos e Carros – Total: 931 quilômetros – Trecho Cronometrado: 481 quilômetros

Caminhões – Total: 866 quilômetros – Trecho Cronometrado: 267 quilômetros

16/01: Villa Carlos Paz (ARG) – Rosário (ARG)

Motos e Quadriciclos – Total: 699 quilômetros – Trecho Cronometrado: 180 quilômetros

Carros e Caminhões – Total: 699 quilômetros – Trecho Cronometrado: 180 quilômetros

COMO ACOMPANHAR O DACAR NA MÍDIA

O Estadão.com terá dois blogs com informações exclusivas em Esportes. O piloto Jean Azevedo irá abastecer o portal com a “visão do piloto” e o jornalista Ricardo Ribeiro com os bastidores da competição.

TV

O canal Fox Sports irá transmitir boletins diários direto da competição ao longo da programação.

Tudo o que sabemos sobre:
velocidaderali DacarJean Azevedo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

DESTRINCHAMOS O MAIOR RALI DO MUNDO EM NÚMEROS E DADOS

Competição começou em 1979 e é disputada na América do Sul desde 2009

RICARDO RIBEIRO, ESPECIAL PARA O ESTADO DE S. PAULO

29 de dezembro de 2015 | 12h00

Tudo é gigante no Rally Dacar. São vários helicópteros, caminhões, ônibus, milhões de telespectadores… Conheça a infraestrutura, números e curiosidades da maior prova off-road do planeta.

OS COMPETIDORES

556 competidores

60 nacionalidades

354 veículos de competição

110 carros e UTVs

143 motos

46 quadriciclos

55 caminhões

Top 3 nacionalidades

1º. França (15,5%)

2º Holanda (14,4%)

3º Argentina (13,8%)

CURIOSIDADES

Piloto mais jovem

Sheldon Creed (EUA) – 18 anos, 3 meses e 3 dias – 30/09/1997

Piloto mais velho (caminhão)

Yoshimasa Sugawara (Japão) – 74 anos, 7 meses e 2 dias (31/05/1941)

10 mulheres na competição (7 pilotos e 3 navegadoras)

Total de etapas cronometradas

4684 (Motos e Quadris)

4775 (Carros e UTVs)

4305 (Caminhões)

Recordes de títulos do Dacar

Carros: Stéphane Peterhansel (França) 5 vitórias

Motos: Stéphane Peterhansel (França) – 6 vitórias

Quadriciclos: Marcos Patronelli/Alejandro Patronelli (Argentina) – duas vitórias cada um

Caminhões: Vladimir Chagin (Rússia) – 7 vitórias

Recordes de etapas

Carros: Stéphane Peterhansel (França) – 32 vitórias

Motos: Cyril Despres (França) e Stéphane Peterhansel – 33 vitórias

Caminhões – 63 vitórias

4 Países visitados pelo Dakar: Argentina, Chile, Bolívia e Peru

28 países visitados pelo Dakar desde a criação (Europa e África)

Cobertura de imprensa

20 redes de TV presentes na cobertura diária

70 redes de TV retransmitem o Dacar

1.200 horas de transmissão de TV

190 países retransmitem as imagens da cobertura

332 jornalistas vão acompanhar a prova inteira

1.400 jornalistas credenciados para a cobertura em etapas na Bolívia e na Argentina

32 nacionalidades de jornalistas na prova

Produção de TV

3 helicópteros com câmera especial para a captação de imagens

6 veículos com equipes de cinegrafistas

12 cinegrafistas

12 câmeras on-board

2 câmeras de super slow (1000 quadros por segundo)

23 ilhas de edição

45 toneladas de equipamentos para TV

7h30 de programas produzidos diariamente

As redes sociais

Facebook: 1,2 milhão de fãs

32 milhões de fãs durante o rali

Twitter: 230.000 seguidores de #Dakar

350.000 tuítes de #Dakar2015 em janeiro de 2015

Instagram: 87.000 seguidores

Mais de 8.000 likes pela “melhor foto” em janeiro de 2015

Site oficial

73 milhões de pageviews

3,5 milhões de visitantes únicos durante o Dacar

7,8 milhões de visitantes únicos em 2015

6,4 milhões de vídeos oficiais assistidos

Organização

17 pontos de abastecimento de combustível para carros e motos

60 carros

12 helicópteros

7 aviões

50 caminhões de carga

10 ônibus

10 caminhões

70 zonas de segurança para que os espectadores possam assistir a passagem do rali

4,8 milhões de espectadores em 2015

2.800 pessoas presentes diariamente nos acampamentos

4.510 comunicações entre os pilotos e o Posto de Controle do Dacar em Paris durante o Dacar 2015

A fila de veículos que foram embarcados na França em um navio cargueiro para Buenos Aires chegou a 4,5 km, sendo 2,6 só de caminhões

80.000 refeições são servidas no total, sendo 7.000 por dia – em média

94 toneladas de lixo e resíduos do Dacar 2015 foram coletados e reciclados em 2015

O Dacar compensa 100% das emissões de carbono no meio ambiente

740.000 dólares foram doados para instituição do Chile

Economia

O impacto econômico direto e indireto do Dacar na Argentina e Bolívia foi estimado em US$ 314,8 milhões de dólares (sendo 214,8 na Argentina e 100 na Bolívia)

Tudo o que sabemos sobre:
velocidaderali DacarJean Azevedo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

VEJA BRASILEIROS QUE VÃO SE AVENTURAR NO MAIOR RALI DO MUNDO

Competidores vão de estreantes a experientes que estarão pela 18ª vez.

RICARDO RIBEIRO, ESPECIAL PARA O ESTADO DE S. PAULO

29 de dezembro de 2015 | 12h00

Com participações nas principais competições off-road do Brasil e do exterior, pilotos terão desafios a superar, como a nova rota definida para essa edição. Veja perfil de cada piloto.

MOTOS

Jean Azevedo: hexacampeão do Rally dos Sertões e nove vezes campeão brasileiro de Rally Cross Country, o piloto de São José dos Campos (SP), de 41 anos, participará pela 18ª vez da competição e será o único representante brasileiro nas motos do Dacar 2016.

CARROS

Guilherme Spinelli: o piloto carioca participou da primeira competição de velocidade na década de 1990 e desde então acumula vitórias em provas de todos os estilos: regularidade, velocidade e cross country. Guiga, como é conhecido, tem cinco títulos no Rally dos Sertões e participa do Dacar desde 2009.

Youssef Haddad: o navegador começou a carreira em provas de regularidade e entrou no rali cross-country em 2002. Youssef é tricampeão do Rally dos Sertões e, ao lado de Guiga Spinelli, ganhou o troféu Rookie Challenge no Rally Dacar como melhor estreante na competição em 2009.

João Franciosi: o piloto teve rápida evolução no rali cross-country. Já na segunda participação, Franciosi foi campeão geral do Rally dos Sertões com uma Mitsubishi L200 inscrita na categoria Production. Foi o único piloto da história da prova a conseguir esse feito.

Gustavo Gugelmin: vencedor do Rally dos Sertões 2015, o navegador liderou de ponta a ponta a última edição da competição e sagrou-se campeão geral e da categoria T1 FIA.

Jorge Wagenfuhr: campeão do Rally dos Sertões 2015 na categoria Super Production, o cirurgião plástico de Curitiba (PR) busca novos desafios e estreará no Dacar 2016.

Joel Kravtchenko: o navegador curitibano já participou de eventos como a Copa Troller, Mitsubishi Cup, Campeonato Rally SC e Rally dos Sertões. Será a primeira participação do advogado paranaense no Rally Dacar.

QUADRICICLOS

Marcelo Medeiros: bicampeão dos quadris no Rally dos Sertões, em 2015, o empresário e piloto maranhense, de 26 anos, vai realizar o que considera seu maior sonho: correr no maior rali do mundo.

UTVs

Leandro Torres: será a primeira participação do piloto no Rally Dacar após correr no Rally dos Sertões por oito anos e participar de disputas internacionais, como o Rally Merzouga.

Lourival Roldan: considerado um dos navegadores mais experientes do Brasil, o competidor atua como diretor de provas e instrutor de navegação. Roldan acumula seis participações no Rally Dacar e 13 no Rally dos Sertões.

Tudo o que sabemos sobre:
velocidaderali DacarJean Azevedo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.