JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Maior velocidade no circuito em Interlagos empolga pilotos na F-1

Lewis Hamilton bateu o recorde da pista nesta sexta-feira

Ciro Campos e Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

10 Novembro 2017 | 19h06

A previsão dos organizadores do GP do Brasil se confirmou nesta sexta-feira. Com os carros mais velozes neste ano, o recorde da pista de Interlagos foi quebrado nos treinos livres. A nova marca foi estabelecida pelo inglês Lewis Hamilton. O mais novo tetracampeão da Fórmula 1 registrou a volta mais rápida da história do traçado paulistano ao marcar 1min09s202.

+ Hamilton volta a ser o mais rápido no segundo treino livre em Interlagos

Até então, o recorde em treinos pertencia ao alemão Nico Rosberg, que anotou 1min10s023 em 2014. O melhor tempo em corrida segue com o colombiano Juan Pablo Montoya, com 1min11s473, em 2004. A marca de Rosberg foi superada logo no primeiro treino livre. E não foi somente Hamilton quem deixou o recorde para trás. Outros cinco pilotos correram abaixo daquela marca.

Não foi por acaso. Neste ano, os carros da F-1 estão até 40km/h mais rápidos devido a mudanças técnicas. Por isso, a organização do GP brasileiro esperava pelo novo recorde. Para evitar maiores riscos, ajustes foram feitos nas zebras, o que passou a exigir ainda mais precisão dos pilotos.

E, a julgar pelos treinos livres, a maior velocidade no circuito agradou aos pilotos. "Foi muito empolgante entrar nesta pista com os carros tão mais velozes neste ano", comentou Hamilton, que bateu seguidas vezes o recorde nesta sexta. "O corpo foi mais exigido dentro do carro, mas foi ótimo."

Companheiro de Hamilton na Mercedes, o finlandês Valtteri Bottas também se empolgou com o rendimento do carro deste ano em Interlagos. "Eu realmente gostei da pista. Já estou ansioso para a corrida de domingo."

Sebastian Vettel, que estava desconfiado das zebras mais altas, se surpreendeu com a qualidade do traçado. "A pista estava ótima. Adorei pilotar aqui hoje", disse o alemão da Ferrari.

Mais conteúdo sobre:
Fórmula 1 Lewis Hamilton

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.