Joe Klamar/AFP
Joe Klamar/AFP

Mais rápido, Vettel está preocupado com câmbio e espera lutar pela pole

Apesar de problemas, piloto alemão fica satisfeito com Ferrari

Estadão Conteúdo

19 de junho de 2015 | 15h28

O alemão Sebastian Vettel foi o piloto mais rápido nos treinos livres desta sexta-feira para o GP da Áustria, mas nem tudo o que aconteceu no Red Bull Ring, em Spielberg, deixou o piloto da Ferrari. Afinal, ele teve problemas com o câmbio do seu carro nas duas atividades do dia - inclusive ficou de fora de quase todo o primeiro treino por causa disso. Por isso, destacou a necessidade da equipe entender o que ocorreu para que não se repita no restante do fim de semana.

"Na sessão da tarde, tivemos um problema com a caixa de câmbio, com um dos sensores indo para o modo de alerta, e tivemos que desacelerar. Obviamente agora nós vamos ter que dar uma olhada nisso. Não sabemos qual é o problema ainda, mas parece não estar relacionado com a que tivemos esta manhã. É sempre melhor se isso acontece nos treinos livres do que no treino de classificação ou na corrida, mas temos de olhar para isso e nos certificarmos que não vai acontecer novamente", disse.

Mais rápido do segundo treino livre e do dia com a marca de 1min09s600, sendo apenas 0s011 mais rápido do que o alemão Nico Rosberg, Vettel ficou satisfeito com o rendimento da Ferrari nesta sexta-feira. Assim, ele espera uma disputa acirrada com os carros da Mercedes no treino de classificação deste sábado no circuito de Spielberg.

"Em termos de sentimento com a pista, a volta é curta e você só precisa entrar no ritmo. Infelizmente nós não conseguimos dar tantas voltas como queríamos, mas isso é o que é. Em geral, o ritmo parece bom, nós coletamos um monte de informações nesta sessão, o que é bom. Sabemos que temos um bom carro e achamos que somos competitivos, vamos ver o que acontece durante a noite. Temos que nos certificar de que ficaremos no ritmo da Mercedes, tanto quanto pudermos. Deve ser um treino de classificação interessante amanhã", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.