Mais um desastre para a Ferrari

A Ferrari gastou ? 35 mil para fretar um avião a fim de enviar de Maranello para Manama, a capital do Bahrein, um novo câmbio para o novo modelo F2005, pilotado por Rubens Barrichello, concluído na fábrica enquanto Michael Schumacher já participava dos treinos livres da prova. Esse foi apenas um dos esforços da Ferrari para estrear no autódromo de Sakhir o novo carro. Deveria ser o início da sua reação no campeonato, de história bastante distinta, até aqui, dos seis anteriores, dominados pela equipe. Acabou sendo um desastre.Michael Schumacher conquistou o segundo tempo, neste domingo, na segunda sessão classificatória e, com isso, largou em segundo também. Mas era um resultado falso. A Bridgestone desenvolveu um pneu confeccionado com uma borracha um pouco mais mole, para atender à necessidade de seus pilotos serem mais velozes na classificação e não largarem tão para trás, como na Austrália e na Malásia. O que todos questionaram, no circuito, porém, desde o primeiro instante, era se aqueles pneus, tão moles, resistiriam às 57 voltas da corrida, disputada sob temperatura ambiente de impressionantes 42 graus e 56 graus a do asfalto. "Simulamos parte da prova, sexta-feira, e o resultado foi diferente do verificado neste domingo", disse Schumacher.O alemão abandonou ainda na 12.ª volta por perda de pressão hidráulica, quando era o segundo colocado. "Não conseguia mais reduzir as marchas", explicou. Até aquela altura acompanhou de perto o líder da prova, Fernando Alonso, da Renault. "Ao menos vimos que com o F2005 poderemos lutar pelas vitórias." O que ele não disse é que seus pneus teriam o mesmo destino dos de Rubens Barrichello, a completa deterioração, possivelmente a partir da metade da competição. Rubinho tomou uma volta de Alonso."Estou muito desapontado com minha saída da prova", falou Schumacher. Desde o GP da Alemanha de 2001 que ele não abandonava uma etapa do Mundial em razão de um problema mecânico, há 58 GPs, outro recorde absoluto dele e da Ferrari. Apesar de não ter concluído o GP de Bahrein e Rubinho não marcar pontos (terminou em nono), Schumacher achou correta a decisão de antecipar a estréia do F2005. "Os ensinamentos daqui serão muito úteis para lutarmos com a Renault pela vitória quem sabe já em Ímola." Por não ter permanecido na prova, não sentiu os pneus acabarem volta a volta, como Rubinho, daí não ter comentado nada sobre eles, motivo maior de a Ferrari não estar mais lutando pelas primeiras colocações. Schumacher treina quarta-feira no Circuito da Catalunha, em Barcelona.

Agencia Estado,

03 de abril de 2005 | 17h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.