Romano Fenati/Twitter
Romano Fenati/Twitter

Marinelli Snipers rescinde contrato de italiano que puxou freio de adversário na Moto2

Romano Fenati foi desqualificado de prova depois de, em plena corrida, tentar parar seu compatriota Stefano Manzi

EFE

10 Setembro 2018 | 10h11

O assessor da Snipers Kalex, equipe que disputa o Campeonato Mundial de Moto2, Stefano Bedon, informou nesta segunda-feira que a equipe rescindiu o contrato do piloto Romano Fenati pela grave ação antidesportiva durante o Grande Prêmio de San Marino, no domingo. Fenati foi desqualificado imediatamente na prova depois de, em plena corrida, puxar o freio dianteiro da moto de seu compatriota Stefano Manzi para tentar ultrapassá-lo.

"Agora podemos comunicar que o Marinelli Snipers Team (nome oficial da equipe) rescinde o contrato do piloto Romano Fenati por seu comportamento antidesportivo, inqualificável, perigoso e negativo para a imagem de todos", informou Bedon com uma mensagem em suas redes sociais.

"Com máxima decepção, devemos constatar que seu gesto irresponsável colocou em risco a vida de outro piloto e não pode ser perdoado de maneira nenhuma. O piloto, a partir de agora, não participará de nenhuma corrida com o Marinelli Snipers Team", acrescentou o assessor, que concluiu sua mensagem pedindo perdão "a todos os fãs do motociclismo mundial".

O gesto antidesportivo de Fenati também provocou a reação da equipe MV Agusta, com a qual o piloto italiano havia recentemente assinado um acordo para a próxima temporada.

"Foi o pior e mais triste incidente que vi em uma corrida de motos. Os esportistas verdadeiros não atuam desta forma. Se fosse a Dorna (empresa detentora dos direitos comerciais da MotoGP), o impediria voltar a competir", considerou Giovanni Castiglioni, dono da MV Agusta.

"Quanto ao seu contrato para uma vaga futura como piloto de MV Agusta Moto2, me oporei de todas as maneiras para encerrá-lo. Não acontecerá, (Fenati) não representa os valores autênticos de nossa companhia", acrescentou Castiglioni.

Pelas redes sociais, Romano Fenati se desculpou

"Peço perdão a todo o mundo do esporte. Nesta manhã, com a cabeça fria, gostaria que isso tivesse sido só um pesadelo. Não paro de pensar naquele momento. Não posso classificar meu gesto. Não fui um homem", aponta comunicado divulgado pelo piloto.

"Um homem teria terminado a corrida e, depois, ido até a direção de prova, para tentar conseguir justiça", afirmou o italiano.

Fenati foi desqualificado do GP de San Marino e suspenso dos dois próximos Grandes Prêmios, de Aragón, na Espanha, e da Tailândia. "Quero pedir perdão a todos os que acreditavam em mim e a todos que decepcionei com meu ato. Ficou uma imagem horrível de mim e de todo o esporte. Não sou assim. Quem me conhece, sabe", diz o texto divulgado pelo piloto italiano.

"É verdade que tenho uma personalidade impulsiva, mas não queria prejudicá-lo. Queria que ele entendesse que o que estava fazendo, era perigoso e que eu também poderia fazer coisas erradas, como ele me fez", completa a nota.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.