Alberto Saiz/ AP
Alberto Saiz/ AP

Márquez celebra quarto título na MotoGP: 'É um sonho que não quero que termine'

Espanhol afirma que está vivendo um sonho: 'É uma sensação incrível'

Estadao Conteudo

12 Novembro 2017 | 15h18

O espanhol Marc Márquez celebrou muito neste domingo a conquista do seu quarto título da MotoGP, ao terminar na terceira colocação na última etapa do calendário, na Comunidade Valenciana, na Espanha. Feliz com o feito, o jovem de apenas 24 anos afirmou estar vivendo um sonho.

+ 'Espero que São Paulo renove com a Fórmula 1 por mais dez anos', diz João Doria

+ Sauber afirma ter sofrido tentativa de assalto em Interlagos

"É uma sensação incrível. Durante a corrida sempre tentei me manter calmo, controlando a situação", destacou o piloto espanhol ao término da prova. "Estou vivendo um sonho que não quero que termine."

Considerado um dos maiores nomes da história da categoria, o espanhol se tornou o oitavo piloto a superar três títulos na MotoGP, mas ele é o mais jovem a conseguir o feito. Márquez chegou à principal categoria da motovelocidade mundial em 2013 e, de lá para cá, só não conquistou o campeonato em 2015.

E o novo título, segundo ele, foi o mais complicado de todos. "Foi a conquista mais difícil, com 27 caídas e meia", brincou o piloto. "Não foi fácil, mas aprendi muitas coisas."

Sobre a "meia" caída deste domingo, quando errou em uma curva e quase despencou, Márquez explicou como perdeu o controle da moto. "Apertei o freio tarde demais e entrei muito rápido. Perdi o controle da parte anterior, mas não me soltei da moto, sem saber onde poderia acabar, na grama ou no muro."

Márquez, por fim, fez questão de enaltecer o italiano Andrea Dovizioso, seu principal concorrente pelo título. "É um adversário incrível, é uma pessoa incrível. Vi como seus mecânicos iam parabenizar os meus. Aprendi muito sobre respeito com Andrea: especialmente o mental, como encarar as corridas. É ele quem melhor se foca nas corridas, centrando-se em si mesmo", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.