Divulgação
Divulgação

Marussia rebate Force India e tem esperanças de correr na F-1 em 2015

Em crise financeira, equipe detalha sua estratégia para tentar voltar à principal categoria do automobilismo, que começa em 15 de março

Estadão Conteúdo

06 de fevereiro de 2015 | 18h26

A Marussia divulgou nota oficial nesta sexta-feira para destacar que ainda não perdeu a esperança de figurar no grid da temporada 2015 da Fórmula 1. Rebatendo declarações da Force India de que a equipe não havia fornecido informações suficientes para ser liberada a competir com o carro de 2014, a equipe publicou um comunicado em que detalha os passos da sua tentativa de voltar à principal categoria do automobilismo mundial.

"Em 17 de dezembro de 2014, a equipe fez um pedido ao grupo de estratégia para considerar e permitir o uso do carro de 2014, modificado para atender ao regulamento de 2015. Após a análise a equipe destacada disse que seria necessário apenas um pequeno número de mudanças por causa de cláusulas no regulamento", afirma a Marussia.

"Na sequência, a equipe foi informada em 5 de janeiro que o Grupo de Estratégia havia autorizado que Caterham e Marussia corressem com o carro de 2014 no campeonato de 2015. A carta afirmou que o grupo de estratégia concordou que o carro deve respeitar todos os regulamentos técnicos de 2015", acrescenta.

"Uma alteração no regulamento nesta fase implica no consentimento unânime de todos os times e na sequência do início do processo de CVA (um acordo para o pagamento das dívidas), a equipe agora está ativamente empenhada em conseguir isso. Este processo envolve fornecimento de todas as informações relevantes para as equipes para permitir que considerem o seu pedido", explicou a Marussia.

Se dirigindo mais diretamente aos dirigentes da Force India, a Marussia assegurou que apresentará todas as garantidas para participar do campeonato. "Fiquei surpreso ao ouvir alguns dos comentários feitos hoje, particularmente relativo ao pedido que disseram termos efetuado nessa reunião, que posso confirmar não ser o caso. Nós fizemos um pedido em 17 de dezembro no ano passado e temos trabalhado desde então para satisfazer as exigências posteriormente comunicadas", afirmou Graeme Lowdon, diretor-executivo da Marussia.

A Marussia não participou das três últimas corridas do campeonato de 2014 após ficar sob administração em 2015. Agora, está em busca de um novo patrocinador para ter condições de bancar a sua participação na temporada, que começará no dia 15 de março com a realização do GP da Austrália, em Melbourne.

Para usar o carro de 2014, a equipe precisa da aprovação unânime do grupo, que compreende a Federação Internacional de Automobilismo, Bernie Ecclestone, o chefão da Fórmula 1, e as equipes Ferrari, Mercedes, Red Bull, McLaren, Williams e Force India, que declarou ter votado contra intenção da Marussia de utilizar o seu carro de 2014.

Rebatizado como Manor, a equipe está provisoriamente inscrita na lista de equipes para o campeonato de 2015 da Fórmula 1. As esperanças de a equipe não chegar ao fim surgiram no mês passado, depois de um leilão programado para vender os ativos remanescentes da escuderia ser cancelado.

Além disso, a Marussia vive a expectativa de deixar a condição de estar sob administração em 19 de fevereiro através de um Acordo Voluntário de Pagamento das Dívidas, em um período definido entre a companhia de capital fechado em crise e os seus credores. Mas a sua presença na temporada 2015 da Fórmula 1 segue incerta.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1velocidadeMarussia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.