Marussia volta atrás e escala Chilton para GP da Bélgica

Um dia após anunciar a troca de Max Chilton pelo estreante Alexander Rossi no GP da Bélgica, a Marussia voltou atrás nesta sexta-feira e devolveu o piloto britânico ao monoposto para defender a equipe, ao lado do francês Jules Bianchi, na corrida de Fórmula 1 deste fim de semana.

Estadão Conteúdo

22 de agosto de 2014 | 10h10

Chilton havia sido preterido por "questões contratuais" que a Marussia preferiu não esclarecer. A equipe deu a entender que a substituição seria provocada por problemas financeiros enfrentados pela escuderia, mas seria apenas temporária. O piloto britânico veio a afirmar que cedeu "voluntariamente" sua posição ao estreante Rossi.

Pela definição da equipe, anunciada nesta quinta, Rossi ocuparia o lugar de Chilton durante todo o fim de semana, nos treinos e na corrida de domingo, no Circuito de Spa-Francorchamps. Nesta sexta, porém, a Marussia recuou e devolveu o britânico ao posto de titular na Bélgica.

Assim, Chilton correrá normalmente neste domingo e também participará do segundo e do terceiro treino, assim como da sessão classificatória. Rossi, de apenas 22 anos, disputou a sessão inicial, na manhã desta sexta.

Rossi, dos Estados Unidos, foi contratado como piloto reserva da Marussia no mês passado, sendo que anteriormente desempenhou o mesmo papel na Caterham. Ao todo, ele participou de apenas quatro treinos livres da F1, antes desta sexta, ao longo das últimas três temporadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.