JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Massa admite chances remotas de pódio em adeus a Interlagos

Brasileiro não demonstra grande esperança por lugar entre os primeiros em Interlagos

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

12 Novembro 2017 | 07h00

Felipe Massa vai se despedir de forma definitiva do Autódromo de Interlagos como piloto de Fórmula 1 neste domingo. O brasileiro, que não teve renovado seu contrato com a Williams, vai deixar a categoria após o GP de Abu Dhabi, no dia 26. E, perto de sua participação derradeira no GP do Brasil, Massa evita criar expectativas na torcida e admite que tem chances remotas de brilhar diante dos seus compatriotas. 

+ 'Realizado' na F-1, Massa se despede do GP do Brasil sem lamentações

+ Massa lamenta assalto à Mercedes e admite usar escolta no GP do Brasil

"Não tenho uma Mercedes, uma Ferrari ou uma Red Bull para brigar por lugar no pódio", reconhece o piloto da Williams. "Então vai ser difícil. Um pódio para o nosso carro só acontecerá em alguma situação especial, em que os favoritos não cheguem até o final e a gente possa estar na posição perfeita para ir ao pódio." 

Massa não descarta o imponderável na prova deste domingo. Porém, a previsão é de sol e tempo seco, sem chances de chuva, o que costuma "bagunçar" o GP brasileiro. "Claro que tudo pode acontecer numa corrida. Mas o importante mesmo é tentar tirar o melhor do meu carro. É tudo o que quero para amanhã (neste domingo)."

O brasileiro reconhece as limitações do modelo atual da Williams porque, como aconteceu nos últimos dois anos, a equipe inglesa teve dificuldades para desenvolver o carro ao longo da temporada. Assim, depois de um bom início de ano, o time caiu de rendimento. No caso de Massa, questões técnicas e pneus furados acabaram com qualquer chance de melhor resultado no campeonato.

Preocupado com a performance fraca do carro nas últimas etapas, Massa admite que até Lewis Hamilton, que vai largar da última posição do grid, pode ser uma ameaça na corrida deste domingo. "Ele tem grandes chances de chegar em mim", disse o brasileiro, apostando numa forte corrida de recuperação do inglês - Hamilton largará em último porque bateu no começo do treino classificatório, no sábado. 

Massa também evita criar expectativas sobre homenagens em sua despedida. No ano passado, ele foi alvo de muitas manifestações calorosas por parte da torcida e por integrantes de diversas equipes do campeonato. "Acho que tudo o que aconteceu no ano passado já foi o suficiente", brinca o piloto de 36 anos, que ainda não definiu o que fará no futuro. O GP do Brasil tem largada marcada para as 14 horas deste domingo.

Mais conteúdo sobre:
Felipe Massa Fórmula 1 Automobilismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.