Massa admite: não era para ir bem em Cingapura

Após sofrer com erro no box, punição, pneu furado e tráfego, brasileiro adimite que 'erros da equipe doem'

Redação

28 de setembro de 2008 | 15h07

Depois de largar na pole e liderar o GP de Cingapura por 16 voltas, Felipe Massa viu sua chance de vitória enroscar em uma mangueira de combustível, que ficou presa no carro durante a primeira rodada para reabastecimento, entre outros problemas. "Tive problema nos boxes, um drive-through, um pneu furado, tráfego. Não era para ir bem."Veja também: Alonso surpreende e vence GP com trapalhada da Ferrari "Não imaginávamos chegar aqui e perder a corrida dessa maneira. Perder uma oportunidade de vencer no pit stop é complicado", disse Massa."A gente tem uma equipe por trás. O piloto tem que fazer o trabalho dele, mas junto com todo o trabalho da equipe e do carro", disse. "Os erros da equipe nesse ano doem."O problema aconteceu por que o painel de luzes, que na Ferrari substitui o "pirulito" usado pela maioria das equipes, mostrou "verde" antes que a mangueira tivesse sido desconectada e devolveu o piloto à pista de rolagem dos box em posição perigosa - quase atingiu uma Force India na saída. "Tive um problema na luz verde e ainda não sabemos direito o que é. É lamentável, mas acontece. É um erro humano, mas não sou o tipo de pessoa que vai trás do cara que errou. Tem que abraçar a pessoa e seguir em frente. Temos que dar mais motivação", absolveu o brasileiro, após completar a prova em 13.º.Além do problema com a mangueira arrastada, ele levou um drive-through por ter dirigido de forma arriscada no pit Lane. "Se a luz verde aparecesse no momento certo, eu não teria tomado a punição."Sobre a vitória de Fernando Alonso, Massa disse que o espanhol teve sorte. "Quem ganhou a corrida, ganhou por sorte. Infelizmente, o Nelsinho [Piquet] bateu. Mas o companheiro dele não venceria se ele não tivesse batido."Temendo uma nova "trapalhada" nos boxes, na última parada de Kimi Raikkonen, a Ferrari voltou a usar o tradicional "pirulito". Tudo correu bem na parada e o finlandês pode voltar à pista normalmente para, algumas voltas depois, bater no muro e abandonar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.