Thomas Frey/EFE
Thomas Frey/EFE

Massa aposta na estratégia para obter bom resultado

Brasileiro largará na sétima posição na Alemanha

AE, Agência Estado

06 de julho de 2013 | 16h17

SÃO PAULO - O brasileiro Felipe Massa terminou o treino de classificação do GP da Alemanha otimista. Após liderar as duas primeiras fases da atividade, realizada neste sábado no circuito de Nurburgring, ele garantiu apenas a sétima colocação no grid de largada por causa da estratégia adotada pela Ferrari, que resolveu poupar pneus moles para a corrida. Mesmo assim, ele ficou satisfeito com o resultado e avaliou que o carro apresentou evolução.

"Em termos de performance, foi um bom treino de classificação, mesmo que tenhamos optado por uma estratégia completamente diferente das equipes que estão à nossa frente no grid. O carro andou muito bem e com os pneus macios, fomos muito competitivos, mais do que em Silverstone, onde eu sofri com ambos os compostos, mas, mesmo assim, não poderíamos ter terminado mais à frente do que quarto ou quinto", disse.

Para Massa, não será fácil conquistar posições no início do GP da Alemanha com os pneus médios, mas ele garantiu que a estratégia pode levá-lo a obter um bom resultado na corrida de domingo.

"É difícil pensar que serei capaz de conquistar posições imediatamente começando com os pneus médios, mas ontem vimos que os moles degradam após apenas algumas voltas e isso pode funcionar a nosso favor. Se o carro for bem e conseguirmos fazer uma boa corrida, poderemos obter um resultado realmente fantástico", afirmou.

Massa, porém, revelou que ficou desapontado com a impossibilidade de lutar pela pole após liderar as duas primeiras partes do treino de classificação. "Quando eu vi que fui o primeiro no final do Q1 e Q2, eu senti que queria lutar com todos até o fim, mas com base na simulação que foi realizada durante os treinos livres, sentimos que a nossa escolha era a direção certa a tomar", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.