Eugene Hoshiko/AP
Eugene Hoshiko/AP

Massa: 'As ordens de equipe são necessárias, mas as ordens inteligentes'

'Respeito, sim, as ordens de equipe', diz o piloto da Ferrari

Lívio Oricchio, O Estado de S. Paulo

11 de abril de 2013 | 16h53

XANGAI - Como não poderia deixar de ser, Felipe Massa teve de responder em vários idiomas, hoje, às perguntas sobre ordens de equipe, o assunto que monopolizou a quinta-feira no Autódromo Internacional de Xangai. Afinal a sua escuderia, a Ferrari, historicamente é quem mais pratica esse procedimento que, com exceção dos interesses do próprio time e do piloto favorecido, consegue não agradar ninguém.

"Respeito, sim, as ordens de equipe. Acho até que são necessárias. Mas as ordens de equipe inteligentes", afirmou Massa. E citou como exemplo nas conversas com a imprensa de língua italiana, inglesa e portuguesa: "Eu já fui ajudado por elas, aqui mesmo (2008) por meu companheiro. Como eu fui decisivo, no Brasil, na temporada anterior na corrida de Interlagos". Afirmou, ainda: "Nessas circunstâncias elas são inteligentes."

No GP da China de 2008, Raikkonen, seu parceiro na Ferrari, ocupava o segundo lugar. Massa, o terceiro. Ocorre que o finlandês estava fora da luta pelo título. A prova de Xangai foi a penúltima do calendário. A F-1 viajou para o Brasil, a seguir, para que Massa e Lewis Hamilton, da McLaren, definissem o campeonato. Por ordem da equipe, Raikkonen deixou Massa ultrapassá-lo para assumir o segundo lugar e somar mais pontos.

Na última corrida do ano anterior, em Interlagos, Raikkonen necessitava vencer e Hamilton ficar de sexto para trás a fim de ser campeão. Massa liderava, com Raikkonen em segundo. Na operação de pit stop os dois trocaram de posição. Como Hamilton não foi além do sétimo lugar, Raikkonen ganhou o Mundial.

Sobre o GP da China, Massa comentou: "Temos muitas novidades no carro. Espero que elas o tornem de fato mais rápido. Sabemos já que somos mais velozes na corrida que na definição do grid. Se crescermos na classificação podemos obter melhores resultados nas corridas".

Este ano os chineses celebram a disputa do décimo GP da China. Massa esteve nos nove anteriores. Nunca conseguiu largar na primeira fila, mas obteve dois pódios, ambos com Ferrari: terceiro em 2007 e segundo em 2008. Na Sauber conseguiu um oitavo lugar em 2004 e um sexto, em 2005.

Há uma diferença de 11 horas entre o horário de Brasília e o de Xangai. Assim, o primeiro treino livre da terceira etapa do calendário começa hoje às 23 horas de Brasília, correspondente às 10 horas de sexta-feira no Leste da China. A classificação para o grid será na madrugada de sexta-feira para sábado, às 3 horas, e a corrida na madrugada de sábado para domingo, às 4 horas.

O serviço de meteorologia da Fórmula 1 prevê tempo nublado e temperatura semelhante a de hoje à tarde, 16 graus, para a classificação e corrida, e pouca possibilidade de chuva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.