Arquivo/AE
Arquivo/AE

Massa defende que equipes da F-1 criem nova categoria

'Temos de olhar seriamente para o que é a melhor opção', diz o piloto brasileiro da Ferrari, sobre a crise

Agência Estado

16 de junho de 2009 | 15h39

SÃO PAULO - O brasileiro Felipe Massa afirmou nesta terça-feira que talvez seja o momento de as equipes criarem sua própria categoria, sem apoio da FIA, para concorrer com a Fórmula 1. Para o piloto da Ferrari, a disputa política entre a Federação Internacional de Automobilismo e as escuderias chegou a um ponto crítico.

Veja também:

linkReunião entre FIA e Fota pela F-1 termina sem acordo

linkPresidente da Ferrari afirma que novas regras vão arruinar F-1

linkFIA suspeita que parte das escuderias da F-1 não quer acordo

linkFota diz que não irá responder a acusações da FIA

"A situação parece ruim no momento, mas um acordo ainda pode surgir, se quiserem um futuro saudável para a categoria. Se isso não acontecer, temos de olhar seriamente para o que é a melhor opção: como as equipes estão unidas, talvez seja a hora de criar algo diferente, seria melhor para o esporte", disse Massa em seu site oficial.

Segundo o brasileiro, a batalha nos bastidores movimenta não apenas chefes de equipes e dirigentes - os pilotos também se envolvem e são afetados. "Aconteça o que acontecer na pista, as manchetes serão novamente sobre essa disputa. Quando estou no carro, eu penso nesses problemas, porque eles me afetam, já que são relacionados ao meu futuro e ao futuro da Fórmula 1", afirmou.

O principal motivo da briga entre FIA e Fota é o regulamento da próxima temporada, sobretudo com relação a um item: o limite orçamentário de 40 milhões de libras (R$ 128 milhões) imposto pela federação. As escuderias não concordam, mas ainda não apresentaram uma alternativa que tenha sido aceita pela entidade.

Na sexta-feira, a entidade promete divulgar uma lista definitiva com as equipes participantes do Mundial de 2010. A atual relação de 13 equipes contém uma série de asteriscos, mostrando ao menos cinco escuderias - McLaren, Renault, Toyota, Brawn e BMW - que ainda dependem das regras para assegurar sua presença no Mundial.

Ferrari, Red Bull e Toro Rosso também já disseram que não correm com o regulamento do limite orçamentário. Entre as equipes atuais, somente Williams e Force India estão comprometidas com o próximo campeonato. As oito outras escuderias ameaçam fazer uma categoria própria.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Felipe MassaFerrari

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.