Marcelo Sayão/AFP
Marcelo Sayão/AFP

Massa descarta nova troca de câmbio para ajudar Alonso

Na prova de amanhã, brasileiro vai largar na frente do companheiro de equipe

FELIPE MENDES ROSA, Agência Estado

24 de novembro de 2012 | 17h50

SÃO PAULO - Após superar novamente seu companheiro Fernando Alonso no treino classificatório, Felipe Massa descartou qualquer estratégia polêmica para beneficiar o espanhol, o único que pode tirar o título do alemão Sebastian Vettel no GP do Brasil de Fórmula 1, neste domingo.

Na semana passada, nos Estados Unidos, o brasileiro ajudou o companheiro ao ter o câmbio trocado, o que resultou em uma punição e a perda de cinco posições na largada. Alonso, então, ganhou uma colocação no grid e pôde sair no lado "limpo" da pista, com menos detritos.

"Não existe essa possibilidade, não vai acontecer de jeito nenhum. Na última corrida, aconteceu a quebra do lacre (do câmbio) por causa do grip (aderência) da pista, era um asfalto novo. Quem largasse no lado esquerdo, iria perder posições, até mais de uma. Esse foi o motivo. Aqui não tem essa diferença de um lado para o outro", justificou o brasileiro, contundente.

Massa também descartou ajudar Alonso com um possível ataque desleal a Vettel logo na largada. O brasileiro vai sair em quinto lugar, uma posição atrás do alemão, que garante o troféu da temporada justamente com a quarta colocação na corrida brasileira.

"Eu vou até o limite do regulamento. Sempre fui um piloto honesto. O meu limite é o limite do regulamento, como eu sempre fiz nas minhas tentativas de ultrapassagens. É pensando assim que vou largar amanhã (domingo)", avisou o piloto da Ferrari, que vai largar duas posições à frente de Alonso. O espanhol foi o 8.º mais rápido do treino, mas largará em 7.º por causa da punição aplicada a Pastor Maldonado. O venezuelano foi o 6.º melhor do treino antes de perder 10 colocações no grid.

Ciente da situação difícil de Alonso neste fim de semana, Massa acredita que sua equipe só levará o Mundial de Pilotos em caso de mau tempo ou se houver algum problema mecânico no carro de Vettel. "Não podemos esquecer que a posição dele é muito difícil. Estando atrás nos pontos e largando atrás, ele fica em uma condição muito, muito difícil", avaliou.

"Alonso só terá chance se houver algum problema no carro do Vettel ou se chover. Em uma condição normal, a situação dele é muito complicada", reiterou Massa, que não descartou a possibilidade de uma eventual reviravolta no campeonato. "Tudo pode acontecer, como vimos em 2008. Choveu e o mau tempo me ajudou e depois me prejudicou". Na ocasião, o brasileiro perdeu o título para Lewis Hamilton na última curva de Interlagos.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1GP do BrasilFelipe Massa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.