Massa detalha o 1º teste com a Ferrari

Nesta quarta-feira foram 95 voltas. Terça-feira, 61, no circuito de 5.793 metros de Monza, onde dia 4 será disputado o GP da Itália, em 53 voltas, 15.º da temporada. Aos poucos Felipe Massa vai ganhando espaço na Ferrari, sua equipe no Mundial de 2006, em substituição a Rubens Barrichello, futuro piloto da BAR-Honda. Depois dos primeiros dois dias de testes com a Ferrari, embora vá pilotar pela Sauber nas 5 etapas que restam do campeonato, Massa conversou com a imprensa italiana e deu uma declaração surpreendente: "Sauber-Michelin e Ferrari-Bridgestone são dois pacotes técnicos bem distintos. A Ferrari F2005 é melhor nas curvas de altas velocidade, muito estável, mas é menos eficiente em frenagens e curvas de baixa. Globalmente, o pacote Sauber-Michelin é melhor." Massa teve a chance de realizar o confronto que todos na Fórmula 1 tinham interesse em conhecer o resultado: Michelin x Bridgestone. O teste de Massa com a Ferrari até levou o diretor da Michelin, Pierre Dupasquier, a excluir o piloto dos testes de desenvolvimento de pneus. Massa comentou mais sobre sua primeira experiência com o F2005: "Estou contente com os meus tempos. Na realidade foi um encontro com velhos amigos, a maioria das pessoas da equipe eu já conhecia." Em 2003 Massa trabalhou como piloto de testes da Ferrari, com o mesmo grupo coordenado pelo engenheiro Luigi Mazzola. Nesta quarta Massa ficou com o 10.º tempo do dia, 1min22s423. A boa referência para o seu trabalho vem do melhor piloto da Ferrari no dia, Luca Badoer, já com muitos quilômetros de experiência com o F2005, que ficou com o 9º tempo, 1min22s395 (125 voltas). As condições de cada um são desconhecidas, mas não deixa de ser representativo Massa ter obtido uma marca apenas um décimo de segundo pior. O melhor do dia foi Juan Pablo Montoya, McLaren, 1min19s886 (49), seguido pelo líder do Mundial, Fernando Alonso, Renault, 1min20s867 (99). De novo os jornalistas questionaram o significado de ser o companheiro do melhor piloto, Michael Schumacher. "Acredito em mim, tenho certeza de que vou corresponder. Estou pronto para aprender com Schumacher e desafiá-lo também. Meu objetivo é ser campeão, mas a meta imediata é venceu meu primeiro GP." O teste teve dois objetivos pessoais, comentou Massa: "O de me sentir com o carro atual da Ferrari e compreender o momento da equipe." Algumas de suas conclusões ficaram com ele próprio. Já Rubens Barrichello testará com a BAR apenas em janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.