Nigel Roddis/AP
Nigel Roddis/AP

Massa detona pneus, mas festeja sua 'corrida impecável'

Piloto brasileiro demonstrou bastante preocupação com os compostos da Pirelli

AE, Agência Estado

30 de junho de 2013 | 16h49

SILVERSTONE - Depois de amargar uma série de batidas nos últimos treinos e corridas da Fórmula 1, Felipe Massa fez uma grande prova neste domingo, em Silverstone, onde terminou em sexto lugar mesmo depois de ter sido prejudicado pelo estourou do pneu traseiro de sua Ferrari já na 11.ª volta e o fez cair da quarta para a última posição.

O brasileiro não escondeu a sua irritação com mais um problema envolvendo compostos fornecidos pela Pirelli nesta temporada, mas destacou o ótimo desempenho que teve desde o início, pois logo na sua incrível largada saltou da 11.ª para a quinta posição.

"Estou muito satisfeito com a minha corrida, que desta vez foi realmente impecável. Depois de um fantástico início e uma primeira volta perfeita, talvez um das melhores da minha carreira, consegui dirigir de forma agressiva desde o primeiro stint. Na décima volta, quando estava no meio da curva no setor 5, meu pneu esquerdo estourou e eu tive de parar", analisou Massa.

Mais tarde, o brasileiro exibiu preocupação com o fato de que os pneus da Pirelli não estão se mostrando seguros. "Agora, a nossa maior preocupação gira em torno da segurança porque, mesmo que eu não possa dizer o que aconteceu hoje, é inaceitável ter que dirigir sabendo que você não está seguro. Mesmo que, felizmente, nada de grave aconteceu, o que vimos é muito perigoso. Já tive esse problema duas vezes antes no Bahrein e se algo não for feito em relação a isso o mais rápido possível, tenho certeza de que isso vai acontecer novamente", ressaltou.

Visivelmente irritado com o problema inesperado que o impediu de fazer uma prova ainda melhor na Inglaterra, Massa chegou a dizer que os pilotos tiveram "zero de segurança na corrida" e, ao ser questionado sobre como é correr sem estar seguro, ele soltou: "A gente coloca tudo nas mãos de Deus porque ainda precisamos acelerar. Mesmo quando trocamos os pneus já pensávamos que isso poderia acontecer de novo. Então essa não foi uma boa sensação".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.