Ahmad Yusni/Efe
Ahmad Yusni/Efe

Massa diz que Ferrari está atrás de Red Bull e McLaren

Brasileiro admite dificuldade em concorrer com equipes rivais e prevê 'corrida defensiva'

AE, Agência Estado

09 de abril de 2011 | 09h52

KUALA LUMPUR - Sétimo colocado no treino de classificação para o GP da Malásia, o brasileiro Felipe Massa admitiu neste sábado que a Ferrari está abaixo do nível da Red Bull e da McLaren, que conquistaram as quatro primeiras colocações do grid de largada, no início da temporada 2011 da Fórmula 1. Assim, ele avisou que adotará um estilo "defensivo" na prova de domingo.

 

"Definitivamente não foi uma classificação fácil, sobretudo olhando para os tempos que os quatro primeiros foram capazes de fazer. Nós lutamos com os outros, mas claramente, comparados aos melhores, faremos uma corrida defensiva", afirmou o piloto brasileiro, que foi 1s3 mais lento do que o pole position Sebastian Vettel.

 

Massa, porém, reconheceu que poderia ter conseguido um resultado melhor no grid de largada. "Hoje, o melhor resultado que poderíamos esperar era o quinto. Eu não fui capaz de fazer isso, em parte porque eu não fiz uma volta perfeita, mas pelo menos vou começar do lado limpo da pista", disse.

 

O brasileiro avaliou que a Ferrari só conseguirá lutar pelas vitórias quando resolver os problemas do carro. "Sabemos que falta pressão aerodinâmica, nós estamos trabalhando nisso, mas só quando tivermos feito algum progresso, seremos capazes de lutar pelos primeiros lugares", comentou.

 

Massa revelou que o plano inicial é fazer três ou quatro pit stops no GP da Malásia. "Do ponto de vista da estratégia, se estiver seco, podemos esperar três ou quatro paradas. Se realmente chover, então tudo pode acontecer e nós temos que estar prontos para qualquer eventualidade", disse.

 

Veja também:

linkVettel faz a pole na Malásia

linkVettel diz que Kers foi decisivo para a pole

video VÍDEO: Imagens do treino classificatório

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.