Massa diz que Ferrari precisa de quilometragem em Barcelona

Nos primeiros testes em Jerez, ele teve problemas e completou menos de 100 voltas

AE, Agência Estado

18 de fevereiro de 2012 | 12h00

BARCELONA - O brasileiro Felipe Massa revelou que a confiabilidade do F2012 - carro da Ferrari para a temporada da Fórmula 1 -, é a sua principal preocupação para os testes coletivos no Circuito da Catalunha, entre os dias 21 e 24 de fevereiro em Barcelona. Em Jerez de la Frontera, no início do mês, ele teve problemas com o novo carro e completou menos de 100 voltas. Por isso, sabe a necessidade de recuperar o tempo perdido para ter mais chances de começar bem a temporada.

"Há muito trabalho a fazer no acerto fino do F2012, mas, como eu e Fernando dissemos na semana passada, acho que este carro tem muito potencial. Será importante percorrer muitos quilômetros na próxima semana, porque temos muitas ideias que queremos experimentar e é essencial que não tenhamos quaisquer problemas. Sei que a equipe tem trabalhado arduamente para garantir que eu e Fernando possamos fazer muitas voltas", disse, ao site oficial da Ferrari.

Massa, porém, ressaltou que os resultados dos testes coletivos têm importância pequena no desenvolvimento da Ferrari. "Eu vou dizer isso antes mesmo de começar: novamente nesta próxima sessão, não vamos estar olhando para o cronômetro, especialmente porque você nunca pode saber o que seus rivais estão fazendo. A verdade só começará a surgir em Melbourne [onde será disputado o GP da Austrália, que abrirá a temporada da Fórmula 1]", afirmou.

O piloto brasileiro revelou que os últimos dias foram de trabalho árduo, com treinos nos simuladores da Ferrari. "Eu pude experimentar o carro no Circuito da Catalunha, pelo menos no simulador ", disse. "Os últimos dois dias foram muito interessantes, porque corremos tanto na pista onde o carro novo já esteve, em outras palavras Jerez e, em seguida, no circuito seguinte", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.