Valdrin Xhemaj/EFE
Valdrin Xhemaj/EFE

Massa diz que provou em treino final que deixa a F-1 no 'topo da competitividade'

'Terminar com bons tempos de volta, boas corridas. É uma boa maneira de se aposentar', afirma piloto brasileiro

Estadão Conteúdo

25 de novembro de 2017 | 19h50

Felipe Massa está prestes a se despedir da Fórmula 1 ciente de que hoje está longe de possuir o protagonismo que já teve na categoria máxima do automobilismo. Neste sábado, porém, o brasileiro afirmou que o seu avanço à parte final do treino de classificação do GP de Abu Dabi, mesmo sem contar com um carro rápido o suficiente para fazer frente aos de Ferrari, Mercedes e Red Bull, provou que ele deixará a F-1 no "topo da competitividade".

+ Leia mais notícias sobre velocidade

+  Hamilton parabeniza Bottas pela pole no GP de Abu Dhabi: 'Que volta!'

+ Bottas surpreende Hamilton e garante a pole em Abu Dhabi; Massa largará em décimo

+ No último fim de semana de Fórmula 1, Massa diz que viveu 'sexta-feira comum'

Vice-campeão mundial com a Ferrari em 2008, quando batalhou com Lewis Hamilton até a última curva do GP do Brasil pelo título, então quando o inglês triunfou pela McLaren na pista de Interlagos, em São Paulo, o piloto da Williams conseguiu fazer uma volta fantástica na segunda fase da sessão qualificatória para o grid para se garantir no Q3 neste sábado.

Embora tenha terminado o estágio derradeiro do treino em décimo e último lugar, Massa se despedirá de Abu Dabi com a marca de nunca ter ficado de fora de uma parte final da sessão classificatória da prova realizada nos Emirados Árabes Unidos na F-1.

"Terminar com bons tempos de volta, boas corridas. É uma boa maneira de se aposentar", afirmou Massa, para em seguida destacar: "Estou tirar o melhor (de mim), sendo competitivo".

Nas entrelinhas, o brasileiro está saindo de cena deixando o recado de que ainda poderia brigar de igual para igual com qualquer piloto do atual grid da Fórmula 1 caso possuísse um carro realmente competitivo. Ele já poderia ter se aposentado da categoria ao final do ano passado, mas ganhou a chance de seguir no grid após a inesperada aposentadoria anunciada pelo campeão de 2016, Nico Rosberg, fato que abriu espaço para que a Mercedes contratasse Valtteri Bottas e deixasse um lugar em aberto no cockpit da Williams, que acabou acertando a continuidade do brasileiro para 2017.

"Eu apenas guiei para chegar ao Q3 e consegui tirar o melhor do carro. Estou feliz com o que conquistei - e mostrando que estou no topo da minha competitividade", assegurou Massa, que espera ao menos terminar no Top 10 nesta corrida de adeus à Fórmula 1.

"Estou muito feliz com o que alcancei (na categoria) e estou ansioso pela corrida de amanhã. Ganhar alguns pontos seria ótimo", projetou o brasileiro, para depois tirar o peso da responsabilidade sobre si ao dizer: "Eu quero me divertir. Não tenho nada a perder, vou arriscar tudo e não me importar (com as consequências)".

Massa, por sua vez, pontuou em todas as corridas da Fórmula 1 que disputou em Abu Dhabi, sendo que a melhor delas para ele aconteceu em 2014, quando ficou em segundo lugar, sendo superado apenas por Hamilton.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.