Massa e Pizzonia lamentam os erros

Os brasileiros Felipe Massa, da Sauber, e Antônio Pizzonia, da Williams, saíram da pista lamentando os erros cometidos durante o treino de classificação do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, neste sábado, em Interlagos. O primeiro largará em 8º lugar, enquanto que o segundo ficou na 14ª posição no grid.Já Rubens Barrichello, que conseguiu o 9º lugar no grid de largada, preferiu criticar sua Ferrari. ?Foi uma decepção muito grande ver que o carro estava se arrastando na pista??, revelou o brasileiro. Segundo ele, pode ter acontecido um problema de pressão de pneus. ?Estavam 15 graus mais frios, mas os engenheiros não sabem ao certo. Falei para eles que é inaceitável uma situação dessas. O carro estava bom e piorou. Vou ter de brigar um pouquinho aqui, para tentar melhorar a situação para a corrida.??Lamentos - "Foi um pecado perder esse tempo no Pinheirinho, meu carro saiu de frente depois eu perdi a trajetória. Em seguida, ele saiu de traseira e isso me custou um pouco de tempo", explicou Massa. "Mas meu objetivo era largar entre os dez primeiros e isso foi cumprido."Massa está confiante na possibilidade de conquistar alguns pontos na corrida. "A estratégia é boa, principalmente olhando a previsão do tempo, pois pode até chover. Vamos fazer o máximo para chegar", disse o piloto da Sauber, que espera contar com um pouquinho de sorte para cruzar a linha de chegada em uma boa situação. "Achei esse ano muito mais difícil de acertar carro do que no ano passado, principalmente, em termos de grip eu sofri bastante, mas acho que tenho o melhor acerto que poderia tirar do carro."Pizzonia estava mais desapontado do que seu colega brasileiro. "A classificação pior do que a gente estava esperando para os doiscarros. Infelizmente, cometi um erro na minha volta e perdi quatro décimos que poderiam me deixar, três, quatro, cinco posições à frente", contou. "Vamos ver se dá para recuperar isso aí."A perspectiva dele, como no caso de Massa, é somar pontos. "Em Monza larguei em 16º e terminei em sétimo sem quebra de nenhum carro na minha frente. Então, acho que dá para fazer alguma coisa boa aqui", afirmou Pizzonia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.