Hamad I Mohammed/Reuters
Hamad I Mohammed/Reuters

Massa está otimista para conquistar outro bom resultado no GP do Bahrein

Piloto já tem duas vitórias no país e aposta no bom desempenho dos pneus para novamente se dar bem

Livio Oricchio. enviado especial, O Estado de S. Paulo

18 de abril de 2013 | 12h28

MANAMA - A exemplo do GP da Turquia de Fórmula 1, onde venceu três vezes seguidas, 2006, 2007 e 2008, Felipe Massa tem bom retrospecto no GP de Bahrein, quarta etapa do campeonato. Ganhou duas edições da corrida no circuito de Sakhir, 2007 e 2008, e foi segundo em 2010, sempre com Ferrari.

Nesta quarta-feira, no autódromo cercado de policiais bem armados, Massa disse estar otimista com relação a conquistar outro bom resultado e, o mais importante, acredita ter descoberto o que causou os problemas de perda de aderência nos pneus Pirelli, razão de cair de terceiro para o sexto lugar domingo, no GP da China.

“Gosto deste circuito, sempre me dei bem aqui, mesmo na época da Sauber (2002, 2004 e 2005). Mas cada ano tem sua história. De qualquer forma essa é uma pista de tração, freio, faz muito calor e creio estarmos bem nisso”, disse Massa. “No ano passado nosso carro era muito difícil de pilotar e não fomos bem aqui.” Massa terminou em nono. Fernando Alonso, seu companheiro, sétimo.

Nas voltas iniciais do GP da China, no último domingo, Massa deslocou o carro no fim da reta pensando em ultrapassar Alonso, segundo colocado. Mas a partir da sétima volta, quando substituiu os pneus macios pelos médios, perdeu muito desempenho em relação a Alonso e aos demais adversários. Os pneus apresentaram o chamado graining, perda de borracha da banda de rodagem.

“Fui cauteloso no início do segundo jogo de pneus (quando instalou os médios) e descobrimos depois que essa foi a causa do graining. Se eu tivesse exigido mais no começo provavelmente não teria sido assim”. A impressão que dá que ao confrontar o que fez com o gráfico do desempenho de Alonso esse fato foi o que emergiu.

Como a Pirelli disponibilizou para o GP de Bahrein os pneus duros e médios, Massa poderia repetir as dificuldades da China. “Não acredito. Entendemos esses pneus melhor agora. O traçado de Xangai é o que mais exige dos pneus dianteiros. Aqui não deverá ser assim”, disse Massa.

Com a diferença de seis horas entre Manama, a capital do Bahrein, e Brasília, o primeiro treino livre da quarta etapa do calendário vai começar às 4h desta sexta-feira, 10h no tórrido circuito de Sakhir. Nesta quarta-feira a temperatura ambiente, à tarde, era de 36ºC e a do asfalto já se aproximava dos 50ºC.

Os manifestantes programaram para esta quinta-feira uma grande passeata, “pacífica”, a fim de cobrar mais democracia do governo barenita. Há carros de polícia e unidades blindadas leves por toda a estrada de 25 quilômetros entre Manama e o autódromo, localizado ao sul da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.