Rodrigo Garrido / Reuters
Rodrigo Garrido / Reuters

Massa lamenta abandono, mas valoriza rendimento: 'As coisas estão melhorando'

Brasileiro avalia que acidente que o fez deixar prova foi causado pelo alemão Maximilian Günther

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

26 de janeiro de 2019 | 21h17

Felipe Massa sofreu o seu primeiro abandono na Fórmula E, neste sábado. Correndo em Santiago, no Chile, o brasileiro foi envolvido em uma batida e acabou danificando a sua Venturi. Como consequência, precisou ir mais cedo para os boxes, antes mesmo da metade da prova, a terceira da temporada 2018/2019.

"É uma pena porque o carro tinha um ritmo bom e dava para marcar pontos com os dois carros hoje. O meu companheiro fez ótima corrida e eu poderia ter feito o mesmo", comentou Massa. Seu companheiro de equipe, o suíço Edoardo Mortara, faturou os primeiros pontos da equipe no campeonato ao chegar na quarta colocação.

Massa abandonou a prova porque sofreu diversas avarias no seu carro, que começou a andar torto na pista. Ele foi praticamente prensado no muro por duas vezes seguidas e perdeu quatro colocações, caindo para a 13ª, após largar da décima e ganhar uma posição. Com avarias graves, o brasileiro abandonou quando faltavam 26 minutos para o fim da prova, que teve duração de 45 minutos mais uma volta.

Na avaliação do brasileiro, o erro foi cometido pelo alemão Maximilian Günther, da Dragon, que o prensou pela primeira vez no muro. "Na disputa, ele veio por dentro e eu estava por fora. Aí ele foi ultrapassado e voltou em cima de mim e me jogou em cima do muro antes da curva. Eu bati, comecei a virar o volante e outro carro, da Nissan, me fez tocar de novo no muro. Mas a culpa não foi deste segundo carro, foi do primeiro. Entortou o meu carro, tive que parar nos boxes, não pude continuar."

Apesar do abandono, ele fez avaliação positiva da prova. Massa estava preocupado com as falhas técnicas da Venturi na etapa passada. Em Marrakesh, no Marrocos, ele terminou em último por causa da falta de rendimento do carro. Os problemas, porém, parecem ter sido resolvidos em Santiago. "O que é positivo é que as coisas estão melhorando, mas o negativo é que não consegui acabar a corrida."

Festejado pela torcida, Massa também gostou do apoio recebido da torcida chilena. Para especialistas locais, o vice-campeão mundial de Fórmula 1 em 2008 se tornou neste fim de semana o maior nome do automobilismo a competir em solo chileno.

"Eu senti um carinho muito grande da torcida. Parecia até que estava correndo em casa. Espero que no México eu receba o mesmo carinho, mas obtenha um resultado decente", comentou o brasileiro.

Quarta etapa do calendário da Fórmula E, a corrida mexicana será disputada na Cidade do México, no dia 16 de fevereiro.

Mais conteúdo sobre:
Fórmula EFelipe Massa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.