Vincent Thian/AP
Vincent Thian/AP

Massa lamenta posição intermediária no grid do GP da Malásia de Fórmula 1

Brasileiro reclama de tráfego que o fez conquistar apenas o 11.º tempo no circuito de Sepang

Estadão Conteúdo

30 de setembro de 2017 | 15h02

O brasileiro Felipe Massa lamentou os problemas no Q2 (segunda parte do treino classificatório) que o fizeram perder a oportunidade de lutar por uma posição melhor no grid do GP da Malásia de Fórmula 1, neste domingo, no circuito de Sepang.

+ Hamilton crava 70ª pole e Vettel larga em último na Malásia

+ Mais notícias de esportes a motor

O piloto da Williams, que obteve o 11º lugar no grid de largada, com o tempo de 1min32s267, entendeu que o tráfego e detalhes no acerto do carro o complicaram na sessão qualificatória realizada neste sábado.

"Estou um pouco desapontado por não estar no Q3. Estava feliz com o carro e o equilíbrio. Tive um excelente Q1, mas não tive um Q2 perfeito, para ser sincero. Na primeira tentativa, peguei um pouco de tráfego nas voltas de alta velocidade, o que significou que perdi um pouco de tempo. Na segunda tentativa, o carro estava saltando um pouco nas curvas. Então, perdi um pouco de tração", analisou o brasileiro, em entrevista coletiva.

O diretor técnico da Williams, Paddy Lowe, também demonstrou decepção pelos resultados de seus dois pilotos na largada do GP da Malásia - Lance Stroll, companheiro de Massa, ficou em 13º lugar. Mas, procurou projetar um bom rendimento dos carros na corrida.

"Tivemos uma sessão sem problemas, mas, em geral, foi um resultado decepcionante para nós. Acho que tivemos a possibilidade de obter pelo menos um carro no Q3 hoje. O ritmo certamente parecia estar lá nas sessões anteriores, mas nós não fizemos o mesmo progresso que outras equipes com cada conjunto de pneus... Ainda estamos em posições razoavelmente boas para marcar alguns pontos na corrida", destacou Lowe.

Tudo o que sabemos sobre:
VelocidadeFórmula 1Felipe Massa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.