Rob Griffith/EFE
Rob Griffith/EFE

Massa lamenta problemas da Ferrari no GP da Austrália

Ele acredita que poderia ter pontuado e aponta problemas tanto de estratégia quanto com pneus, na corrida

Livio Oricchio, O Estado de S. Paulo

29 de março de 2009 | 08h56

 MELBOURNE - O abandono do GP da Austrália na volta 45, quando teve problemas em sua Ferrari - que ele não soube detalhar ao final da corrida em Melbourne -, só reforça a decepção de Felipe Massa com o fim de semana de estreia na temporada 2009 da Fórmula 1. Por causa disso, seu pensamento, já voltado para a recuperação na Malásia.

Veja também:

link Button vence e Barrichello é 2.º no GP da Austrália

especialESPECIAL: Conheça os pilotos e equipes da F-1

especialConfira o calendário da temporada

especialESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

O que fazer para que o carro deste ano seja competitivo na próxima corrida? "Trabalhar e trabalhar duro. Acredito que a gente estará na briga com a Red Bull e a Toyota. A Brawn não precisa nem citar que está fazendo outro campeonato", analisa o brasileiro, já comparando sua equipe com os outros concorrentes na disputa.

Massa lamentou ainda o problema que teve de estratégia na corrida, apontando a entrada do safety car na batida de Kazuki Nakajima, da Williams (na volta 17), como péssimo. Ele conta também que os pneus não ajudaram. "Na largada estava ótimo, mas após seis voltas nós tivemos muitos problemas com os pneus moles e não havia o que melhorasse", afirma.

"A equipe decidiu que seriam duas paradas ao invés de uma, porque parar só na volta 10 seria até um erro, e na teoria a corrida seria para três. O safety car destruiu minha estratégia, depois disso tive oito voltas o que não foi suficiente para abrir vantagem de quem teve duas paradas. Ali foi um erro grande, olhando como foi a corrida, vendo a posição do Hamilton, eu poderia ter chegado entre os cinco primeiro primeiros", completa.

Mais conteúdo sobre:
Fórmula 1Felipe MassaFerrari

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.