Massa liga para Rubinho e se diz emocionado com vitória

O frio, neste domingo, em São Paulo, fez com que Felipe Massa assistisse ao GP da Europa pela TV deitado na cama, em sua casa. Torcendo por seu amigo Rubens Barrichello. E valeu a pena a torcida. "Fiquei muito emocionado quando vi no seu capacete a homenagem que fez para mim", disse.

AE, Agencia Estado

23 de agosto de 2009 | 18h36

Logo em seguida, ao deixar o cockpit da Brawn GP, antes de subir ao pódio, Rubinho abaixou a cabeça a fim de expor a parte superior do capacete para a câmera, onde havia uma réplica pintada de parte do capacete de Massa. Um pequeno texto dizia desejar vê-lo de volta às pistas bem depressa.

"Telefonei para ele e o cumprimentei pela vitória fantástica", falou Massa. "É estranho ver a corrida na TV. A última vez foi no GP do Japão de 2003, quando era piloto de testes da Ferrari. Acompanhei os tempos de volta com meu laptop também".

O piloto da Ferrari falou ter permanecido com os dedos cruzados esperando nova vitória brasileira na corrida de Valência. "Eu também venci a prova, ano passado, depois de largar na pole e estabelecer a melhor volta".

A exemplo do engenheiro de Rubinho, o inglês Jock Clear, e do sócio e diretor da equipe, Ross Brawn, Massa acredita em vitória de seu amigo mesmo se a McLaren não tivesse errado no pit stop de Lewis Hamilton, mantendo-o parado 13,4 segundos, enquanto seria de se esperar cerca de 9 segundos. "Tenho certeza de que o Rubinho ultrapassaria o Hamilton em função dos seus tempos de volta. Sua segunda série de voltas (após o primeiro pit stop) foi incrível e sem erros".

Depois da bandeirada, Massa conversou por telefone com Luca di Montezemolo, presidente da Ferrari, e Stefano Domenicali, diretor. "Concordamos que é preciso evoluir nosso ritmo nas classificações. Em corrida não estamos longe".

Kimi Raikkonen foi elogiado por Massa. "Bela prova. Não tínhamos a mesma velocidade da Brawn e da McLaren, mas mesmo assim ele acabou na frente de Heikki Kovalainen, o outro piloto da McLaren". O finlandês largou em sexto, pulou para quarto na largada, graças ao Kers (sistema de recuperação de energia) e ultrapassou Kovalainen no segundo pit stop.

Nos próximos dias, Massa fará tomografia em São Paulo e na sexta-feira embarca aos Estados Unidos para ser consultado pelo médico Steve Olvey, da Fórmula Indy. "Levarei o resultado comigo e depois deverei realizar novos exames em hospital de Miami", explicou. Seu retorno à Fórmula 1 no GP do Brasil, no dia 18 de outubro, é uma meta realista.

Tudo o que sabemos sobre:
fórmula 1Felipe Massa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.